×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
22 de set. de 2017
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Futurismo tropical de uma Fendi em expansão

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
22 de set. de 2017

O poderoso desfile da Fendi, que aconteceu na quinta-feira, começou com um eco colorido de Futurismo, mas acabou nos trópicos opulentos. O diretor criativo da marca, Karl Lagerfeld, raramente esteve tão bem.

Photo: Fendi - Facebook


Numa jogada corajosa, Lagerfeld imaginou uma silhueta totalmente nova, centrada num decote destacado. Às vezes Lagerfeld deixou-os cair abaixo da clavícula, depois dos ombros, outras vezes a gola foi usada quase como um xale largo. “Arquitetura flutuante”, disse Lagerfeld no backstage.

Sublinhando o foco na silhueta, o bonito programa do desfile continha uma série de esboços de Karl, muitos deles cobertos com suas instruções para o seu atelier sobre as proporções. Como “longe do pescoço”, escrito acerca de um vestido com um decote redondo, ou “o efeito blusa”, escrito num esboço de um casaco com colarinhos de mais de dez centímetros, que desciam tanto que revelavam o ombro nu.

“Eu tinha estava vendo a geometria de Giacomo Balla, mas acabei bastante distante dele”, brincou o estilista alemão sobre a estrela do Futurismo, o movimento artístico italiano que desprezava ideias antigas e abraçava a mecanização, a velocidade e a tecnologia.

Os tecidos principais de Lagerfeld foram uma série de riscas arrojadas, xadrezes e tartans. As suas cores-chave vieram do Sul, do Equador: rosa coral, verde mar e azul branqueado.

Começando por tops frescos de popeline e saias de cintura alta que alargavam logo abaixo do joelho, e culminando em alguns sugestivos vestidos de cocktail, em chiffon de seda transparente, esta foi uma coleção bastante impressionante.

Uma coleção corajosa, apoiada por uma brilhante trilha sonora, da autoria do francês Michel Gaubert, DJ e arquiteto de som. Soava a batidas tribais africanas, mas acabou sendo Ninos Du Brasil, uma dupla italiana da qual um dos membros é Nino Vascellari, que namora com Delfina Delettrez, filha de Silvia Fendi, designer da marca.

Poucas marcas estão, atualmente, crescendo tão rapidamente como a Fendi, que vai ultrapassar o teto dos 1,2 bilhões de euros este ano. O desfile revelou uma série de novas bolsas, de uma tote em malha tartan transparente chamada Runway a uma bolsa Mon Trésor em forma de balde, feita de peles exóticas e decorada com pérolas metálicas. Na verdade, todas as modelos traziam uma bolsa.  

A casa está crescendo em todas as categorias, especialmente naquelas que ela própria inventou, como decorações de luxo. A marca romana já vendeu literalmente centenas de milhares de tons peludos e mini Carlitos. Nesta temporada, a ênfase foi dada ao humor – é o caso da mini banana de couro, meio aberta para revelar a fruta feita de um duplo F, o logotipo da Fendi.

Embora a grande novidade hoje tenha sido a forma como um estilista octogenário como Karl Lagerfeld ainda consegue continuar a esculpir novas e entusiasmantes silhuetas. Enquanto muitas das jovens estrelas da atualidade são meras decoradoras de tecidos.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.