×
751
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Fluidez e perfume setentista são apostas em desfiles no Minas Trend

Publicado em
today 19 de abr de 2018
Tempo de leitura
access_time 4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Muita transparência, geometria, tons fortes e um perfume setentista foi o que se viu na passarela do Minas Trend, que apresentou as apostas de estilistas para a primavera/verão 2019. Os looks reveladores apareceram nas coleções de Mazan, Fátima Scofield e Natalia Pessoa. Na paleta de cores, destaque para o azul, amarelo e coral e estampas geométricas.

Além dos desfiles, pelos corredores da Expominas, mais de 200 marcas de vestuário, bolsas, sapatos, joias, bijuterias e acessórios participaram do salão de negócios e mostraram suas criações para a próxima temporada. Confira a seguir um balanço do que foi visto nas passarelas:

A estreia de Fátima Scofield 
Fátima Scofield fez sua estreia na semana de moda com vestidos fluidos, babados, transparências, fendas generosas e detalhes em renda. O ar setentista das peças, quase tudo em seda esvoaçante, foi a aposta da estilista, que optou ainda por uma paleta de cores em tons vivos como o amarelo e o azul e estampas com flores miúdas.


O desfile de Fátima Scotfield - Divulgação/Agência Fotosite


O tapa-mamilos no Sindijoias 
O desfile contou com peças de sete marcas mineiras de acessórios: Caleidoscópio, Camila Klein, Carlos Penna, Atelier Endy Mesquita, Hector Albertazzi, Lazara e SD por Sheila Morais. Destaque para o tapa-mamilos em todas as modelos, feitos pelo artesão Walter Martins, de Itabirito.


Desfile do Sindjoias - Agência Fotosite/Divulgação

O feminismo de Natália Pessoa 
Natália Pessoa se inspirou na trajetória da mineira Dora Vivacqua, a Luz Del Fuego, e criou looks em tons fortes como o vermelho, de modelagem assimétrica e  pantalonas fluidas.


Natalia Pessoa no Minas Trend primavera/verão 2019 - Agência Fotosite/Divulgação



A geometria da Plural 
A grife foi buscar no construtivismo as linhas geométricas que serviram de referência para o desfile. Destaque para as formas tridimensionais.


Desfile da Plural no Minas Trend primavera/verão 2019 - Agência Fotosite/Divulgação



O tom poético de Lucas Magalhães 
Lucas Magalhães mostrou que quer mais diálogo com outras marcas de moda e investiu nas collabs. Com Valéria Mansur, desenvolveu a camisaria, as calças vieram da parceria com a Ateliê de Calças. 


O desfile de Lucas Magalhães - Agência Fotosite/Divulgação



Os anos 1980 na Manzan 
Letícia Manzan resgatou a extravagância dos anos 80 para a sua passarela com vestidos com ombreiras e babados, mas que surgiram numa versão moderna ao serem usados com coturnos. As plumas e paetês foram outra aposta da estilista, que aboliu o salto alto e apostou ainda nos sliders. A moda festa ganhou ainda a companhia de parkas e joggings. 


A festa Disco Gym de Letícia Manzan - Divulgação/Agência Fotosite


A alfaiataria da Virgílio Couture  
A Virgílio Couture abriu o segundo dia de desfiles do Minas Trend com uma alfaiataria estruturada. A estampa de oncinha surgiu em vários looks, mas feita a partir de pinceladas de nanquim. Mas o animal print não apareceu só isolado, mas sim em combinações com o xadrez.


Desfile Virgilio Couture - Agência Fotosite/Divulgação



As listras da Mollet
As listras aparecem como ponto de partida da coleção “Saramandaia” apresentada pela Molett, que retomou o trabalho com o plástico em shapes mais modernos, mas investiu também em detalhes com fios naturais. As parkas ganham comprimentos mais alongados.


Desfile Molett - Agência Fotosite/Divulgação



As estampas da Anne Est Folle 
Uma silhueta marcada, com saias levemente abaloadas, foi a aposta da Anne Est Folle. As estampas remetem a florais, raízes e cascas de árvores, mas também a paisagens urbanas. O tie-dye, tramas e macramés foram outras apostas da grife.


Anne Est Folle - Agência Fotosite/Divulgação


Chocker e os anos 1970
O perfume setentinha apareceu também na coleção Chelsea Girls, da Choker, que buscou inspiração em toda a efervescência de Londres nas décadas de 60 e 70. As estampas têm como referência dos desenhos da icônica grife BIBA. Destaque para os bordados com pedrarias. 


Desfile Chocker - Agência Fotosite/Divulgação


A assimetria da NotEqual 
A NotEqual, marca sem gênero e tamanho pré-definidos, estreou na passarela do Minas Trend com muita assimetria e quebra de proporções em roupas que respeitam o movimento, a forma e a interpretação que cada corpo dará a elas. 


Desfile Not Equal - Fotos: Agência Fotosite/Divulgação



O setentismo da Skazi 
A marca fechou os desfiles desta edição com show de Ludmilla e Juliana Paes na passarela. Inspirado na tenista Billie Jean King – que chamou a atenção para a igualdade entre homens e mulheres no esporte na década de 1970 -, o verão da marca apresentou reinterpretações do uniforme das tenistas, mas em versões mais sofisticadas, em linho, tricô e couro fake. 

Juliana Paes e Ludmilla no desfile da Skazi - Agência Fotosite/Divulgação


Desfile Skazi - Agência Fotosite/Divulgação


 

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.