Fila quer subir degraus na moda

A Fila entrou de cabeça no mundo da moda com um desfile misto em Milão. Para a sua estreia nas passarelas, a marca esportiva, nascida em 1911 perto de Biella, no Piemonte, acertou em cheio com uma produção e uma imagem muito cuidadosa encenada em um loft gigante com ares de clínica espacial, com tapete branco imaculado e luz azul fria. Oito silhuetas brancas muito gráficas e elegantes abriram o desfile, que lembrou o programa midiático da Louis Vuitton assinado por Virgil Abloh, realizado em junho.


Look Fila que lembrou Louis Vuitton por Virgil Abloh - FashionNetwork.com ph Dominique Muret

O nome Fila apareceu discretamente, em relevo em uma camiseta branca ou em micro logotipos no peito. Ele também foi visível em outras peças de vestuário e acessórios, em grandes letras maiúsculas com o reconhecível azul e vermelho da marca, que pertence ao empresário sul-coreano Gene Yoon desde 2007 via Fila Korea, e é administrada sob licença por Dosenbach-Ochsner na Europa.

A paleta evoluiu para o vermelho com vestidos soltos em jérsei ou saias plissadas curtas para as mulheres, cobrindo os pés e pernas com meias opacas longas no mesmo tom brilhante até às coxas, enquanto enquanto para os homens foram apresentadas roupas de piloto de corrida, um agasalho clássico, ou em versão náutica com bermudas e anoraque vermelho.

A coleção Fila para a primavera-verão 2019 oferece uma mistura inteligente com uma alta taxa de desejabilidade com pequenas peças básicas e simples, as mais procuradas, seguindo o padrão da Lacoste, como conjuntos xadrez inspirados nas roupas do célebre campeão de tênis Bjorn Borg, elementos esportivos, como camisetas calças e agasalhos associados à jaquetas tradicionais. Sem mencionar os acessórios, incluindo o bob indispensável, e algumas malhas e shorts vintage.


Josef Graesel e Antonino Ingrasciotta - FashionNetwork.com ph Dominique Muret

"Começamos com os arquivos para criar uma nova coleção entre passado e futuro, com o equilíbrio certo entre o esporte e a moda, usando influências dos anos noventa e setenta", explicaram os diretores de criação, Antonino Ingrasciotta e Josef Graesel, que comandaram o estilo da Adidas Original por sete anos e têm 25 anos de experiência em moda.

Os estilistas ingressaram na Fila em 2017, e começaram a trabalhar em coleções-cápsulas. "A ideia é fazer a marca passar do sportswear para o Premium Luxury. Levamos uma parte da produção à Itália e, no mesmo espírito, criamos uma coleção-cápsula para a Fendi, usando o F de Fila e Fendi, que será lançada em outubro", disseram eles.

"Na verdade, tudo nasceu da colaboração que fizemos em 2016 com o designer russo Gosha Rubchinskiy, quando ele se apresentou no Pitti Uomo. Foi uma verdadeira explosão que nos encorajou a continuar nesse caminho com outros estilistas e nos fortaleceu no setor de moda", disse Barbara Mora, diretora de marketing global da Fila, para o FashionNetwork.com.


Look feminino da Fila para a primavera-verão de 2019 - FashionNetwork.com ph Dominique Muret

"Este desfile é uma forma de explicar a Fila, com uma coleção 360 graus da marca. Antes de ser comprada pelos coreanos, a Fila mudou de dono várias vezes e ficou um pouco perdida. A clientela também era mais velha. Esse foco na moda nos permite abordar um público mais jovem", conclui.

Com o desfile e sua entrada na Semana da Moda de Milão, a Fila aproveitou a oportunidade para apresentar uma boa retrospectiva sobre a marca, que aconteceu durante toda a semana na La Triennale. Foi a ocasião perfeita para o público descobrir ou recordar com nostalgia grandes momentos esportivos através das camisas de astros do tênis dos anos setenta como Guillermo Vilas e Bjorn Borg, de campeões dos anos oitenta como Boris Becker, mas também de esquiadores, como Alberto Tomba, entre outros.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirEsporteDesfiles
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER