Ex-CEO da Safilo sofre investigação sobre suposto abuso de informação privilegiada

Promotores italianos ordenaram a "apreensão preventiva" de ativos no valor de 1,3 milhão de euros (1,5 milhão de dólares) de Roberto Vedovotto, ex-executivo-chefe do grupo fabricante de óculos Safilo, como parte de uma investigação sobre suposto abuso de informação privilegiada.

Roberto Vedovotto

De acordo com a ordem de apreensão, conferida pela Reuters na passada semana, os promotores alegam que Vedovotto vendeu ações da Safilo vários meses depois de integrar o grupo de luxo francês Kering, mas antes foi anunciado que a Kering havia decidido criar sua própria divisão 'eyewear' e que ia pôr um termo num acordo de licença entre a Safilo e a sua subsidiária Gucci.
 
Vedovotto, agora presidente-executivo da Kering Eyewear, não respondeu imediatamente a uma solicitação de comentário via correio eletrônico. Uma porta-voz Kering Eyewear também não quis comentar.
 
No ano passado, as ações da Safilo caíram 30% depois de o grupo Kering ter anunciado, a 2 de setembro, que havia decidido criar a sua própria divisão eyewear e que colocaria um termo à licença da Gucci com a Safilo em 2016.
 
$1 = 0.8789 euros

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.

ÓculosPersonalidades
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER