×
Por
Jornal T
Publicado em
27 de jul de 2017
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Europa já compra mais aos países asiáticos que à China

Por
Jornal T
Publicado em
27 de jul de 2017

As importações de têxteis chineses para a União Europeia estão em queda e o gigante oriental, que nos habituámos a designar por fábrica do Mundo, foi já ultrapassado pelo conjunto dos países asiáticos como principal fornecedor de têxteis e vestuário da União Europeia.

DR


Em 2016, as importações com origem na China baixaram para 33,1% enquanto o conjunto dos países asiáticos passou para 34,9%. Nestes, o grupo da Associação Sul-Asiática para a Cooperação Regional (SAARC) – que agrupa Índia, Paquistão, Bangladesh e Siri Lanka – representa (25,6%), enquanto os restantes 9,3% têm origem na ASEAN-Associação das Nações do Sudeste Asiático, que agrupa Indonésia, Filipinas, Singapura, Malásia, Camboja, Vietname, Tailândia, Laos e Myanmar.
Os números dados a conhecer pela Euratex – European Apparel and Textile Confederation acabam por pôr em evidência uma tendência que se vem verificando nos últimos anos. Pelo menos desde 2010 que a China perde terreno como principal fornecedor de têxteis à EU, sempre em benefício daqueles blocos asiáticos.
Em 2010 a China vendia 40,8% dos têxteis e vestuário importados pela União Europeia, percentagem que desde então vem decrescendo, até aos 35% de 2015 e os 33,1% do último ano. Ao invés, os países da SAARC passaram dos 19% do início da década para 24,6% em 2015 e 25,6% em 2016. Com menor peso, mas com idêntica trajectória, os países da ASEAN chegaram aos 9,3% no ano passado, depois de 6% em 2010 e 8,6% em 2015.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.