×
887
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Estudo da Environmental Health aponta os efeitos negativos da fast fashion

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 14 de jan de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Segundo um novo estudo do jornal Environmental Health, a fast fashion afeta desproporcional e negativamente o meio ambiente em países onde as roupas são montadas, incluindo Bangladesh e Índia.


A Fast fashion afeta negativamente o meio ambiente em países de renda baixa a média. - South City Mall- Facebook


"Desde o crescimento do algodão com uso intensivo de água, até a liberação de corantes não tratados em fontes de água locais, passando pelos baixos salários e condições de trabalho precárias, as implicações ambientais e sociais envolvidas na fabricação de têxteis são enormes", disse Christine Ekenga, professora assistente na Universidade de Washington, nos Estados Unidos, para a Environmental Health.

O estudo aponta Bangladesh e China como os principais produtores de fast fashion, assim como a Índia. Christine Ekenga afirma que o excesso de oferta de fast fashion criou uma crise ambiental e social nos países que fabricam as roupas de baixo custo. Cerca de 80 bilhões de novos itens de vestuário são comprados anualmente em todo o mundo e os Estados Unidos são os maiores compradores, de acordo com o relatório.

“Este é um problema enorme. Os impactos ambientais e sociais desproporcionais da fast fashion garantem sua classificação como uma questão de injustiça ambiental global”, diz Christine Ekenga. O estudo afirma que cada passo da cadeia de suprimentos da fast fashion tem problemas. “Embora a fast fashion ofereça aos consumidores a oportunidade de comprar mais roupas por menos, aqueles que trabalham ou moram perto de instalações têxteis lidam com uma carga desproporcional de riscos à saúde ambiental”.

O estudo também menciona que milhões de toneladas de produtos têxteis são despejados em aterros não regulamentados, especialmente em países de baixa e média renda que, de acordo com Christine Ekenga, "freqüentemente carecem dos apoios e recursos necessários para desenvolver e aplicar salvaguardas ambientais e ocupacionais para proteger a saúde". Este problema tem sido especialmente prevalente na Índia, com relatos de danos ambientais relacionados à fábricas de produtos têxteis em todo o país.

Como forma de avançar, o estudo sugere várias maneiras de ajudar a incluir o uso de têxteis sustentáveis, promover a sustentabilidade corporativa e a política comercial, e mudar os hábitos de compra dos consumidores.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.