Entrevista: Happy Socks



Criada em 2008, a grife de meias Happy Socks já marca presença em 60 países. Com a ideia de trazer mais diversão para a peça do vestuário que muitas vezes fica esquecida, a empresa não dispensa estampas diferentes e produz quase todas suas coleções em versão unissex. Presente agora também no Brasil, através da FlashMob Culture and Style que representa a marca no país, fomos conhecer um pouco mais sobre esse novo negócio. Quem concedeu a entrevista a seguir foi Armando Kina, diretor comercial da FlashMob.
  
UseFashion: Como surgiu a ideia de criar uma marca exclusivamente de meias?
Armando Kina: Viktor Tell e Mikael Söderlindh, diretor criativo e CEO da Happy Socks respectivamente, iniciaram a empresa em 2008. Viktor trabalhou como designer gráfico e ilustrador por muitos anos antes de encontrar seu lugar no mundo da moda. Seu lema: “tudo brincadeira, nada de trabalho”, mostra com precisão do que se trata a marca, que transformou um simples e esquecido item em uma divertida, criativa e expressiva história de sucesso. Mikael trabalhou na indústria de propaganda por 10 anos antes de se juntar a Viktor, seu amigo de longa data. Depois de uma década de trabalho, Mikael quis desenvolver um produto para o mercado global. Integrando a estrutura corporativa com toque pessoal, Mikael comanda a Happy Socks e permite a criatividade para evoluir e crescer sem interferências. 


UF: O conceito da Happy Socks é de meias mais coloridas e divertidas. Qual o público-alvo da empresa?
AK: Hoje, a Happy Socks possui uma linha completa de modelos, abrangendo tamanhos para bebês a partir dos 6 meses, pré-adolescentes e adultos. As estampas são unissex e traduzem a sua proposta ousada e atual.
 
UF: A marca vê nos brasileiros esse público consumidor?
AK: Sim! Para a Happy Socks essa é a hora ideal para a sua chegada aqui. Eles acreditam que o Brasil vive um momento de transição econômico-cultural e as pessoas estão ficando mais abertas e exigentes com a moda.
 
UF: De 2008 até agora, como se deu esse processo de expansão da marca? Já que atualmente está presente em 60 países.
AK: O sucesso da Happy Socks não está apenas ligado ao design de suas estampas, mas também à qualidade de seus produtos. Usamos as melhores matérias-primas, temos um rigoroso controle de qualidade e confecção feita na Turquia e na Itália com um moderno maquinário. Além de tudo isso, a experiência do consumidor de se “sentir bem” usando as meias Happy Socks contribui para esse estrondoso sucesso mundial.



UF: Como funciona o processo de criação das estampas? Elas são exclusivas?
AK: A criação das estampas da Happy Socks tem a direção de Viktor Tell e suas estampas são exclusivas.
 
UF: A Happy Socks já fez ou pensa em fazer alguma parceria com algum ilustrador ou artista para criar as estampas das peças?
AK: Sim, a Happy Socks trabalha com minicoleções exclusivas em parceria com renomados artistas. Entre os nomes que já assinaram essas coleções destacam-se Manish Arora, Giles Deacon e Stephen Wong.
 
UF: A marca trabalha com coleções por temporada?
AK: Sim, são duas coleções anuais, além das coleções exclusivas.



UF:Entre meias-calças, meia soquete, 3/4 e outras que a marca possui, qual o carro-chefe?
AK: As meias de algodão penteado representam cerca de 85% da produção global da Happy Socks.
 
UF: Trabalham só com e-commerce ou também com lojas físicas?
AK: A Happy Socks possui um e-commerce global e algumas Concept Stores em pontos estratégicos de importantes cidades ao redor do mundo. Contudo, a utilização de distribuidores licenciados é o principal formato de vendas.
 
Fotos: Divulgação

Copyright © 2019 UseFashion. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirDistribuição
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER