×
167
Fashion Jobs
Por
Europa Press
Publicado em
5 de mai de 2014
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Em 2014 serão vendidos 19,2 milhões de dispositivos “vestíveis”

Por
Europa Press
Publicado em
5 de mai de 2014

Madri – Os dispositivos “vestíveis”, mais conhecidos como “wearables”, fecharão 2014 com vendas estimadas em 19,2 milhões unidades. Um estudo confirma que este tipo de tecnologia vai ser ampliada durante os próximos anos, consolidando-se definitivamente em 2016. As pulseiras e relógios inteligentes serão os responsáveis pelo impúlso inicial desta tecnologia.

Foto: Samsung


Uma vez consolidados os mercados de tabletes e smartphones, as principais companhias de tecnologia estão apostando na sua introdução em um novo mercado que amplie a sua oferta. Trata-se do setor dos dispositivos “vestíveis”, o qual é formado por artigos que os usuários podem utilizar como acessórios. O International Data Corporation (IDC) realizou um estudo para analisar as perspectivas desse mercado, chegando a interessantes conclusões para os próximos cinco anos.

Segundo o estudo, as previsões apontam que, neste ano de 2014, será alcançado o impressionante número de 19,2 milhões dispositivos “wearables” vendidos. Trata-se de uma cifra importante, que aumentará com o passar dos anos. De concreto, os pesquisadores consideram que a tecnologia “wearable” terminará por se consolidar em 2016, convertendo-se em um setor importante para os anos seguintes.

O êxito dos dispositivos “vestíveis” vai ser capitaneado pelas pulseiras e relógios inteligentes. O certo é que já há modelos desse tipo de dispositivo no mercado. O Samsung Galaxy Gear, Nike FuelBand e o Pebble são algumas referências. Estes tipos de terminais são os responsáveis por liderar e popularizar a tecnologia “vestível” nesses primeiros passos, segundo os pesquisadores do IDC.

“A informática ‘wearable’ ainda se encontra em uma plataforma de lançamento”, explicou o diretor de pesquisa do IDC, Ramón Llamas. Para os pesquisadores, as companhias têm de especificar mais a sua oferta de dispositivos “vestíveis”, e os consumidores ainda devem se familiarizar com esse tipo de acessório. Por isso, ainda vai levar alguns anos para se alcançar o autêntico êxito dos “wearables”.

Anúncios como o do Android Wear podem ser fundamentais para consolidar este setor incipiente. A aposta de companhias como Samsung e Sony no desenvolvimento dos dispositivos “vestíveis” também é fundamental para que o setor alcance o sucesso e para que as previsões do IDC se cumpram.

Copyright © 2021 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.