×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
21 de mai. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Crise do Covid-19 faz Condé Nast demitir 100 funcionários

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
21 de mai. de 2020

Com a crise do Covid-19 continuando a atrapalhar a economia, a editora Condé Nast precisou demitir quase 100 funcionários dos Estados Unidos e disse que irá dispensar outros 100.


Instagram @voguemagazine


Segundo relatos do setor, os cortes foram anunciados por meio de um memorando da editora, que publica títulos como Vogue, GQ, Glamour, Teen Vogue, Allure, entre outros. Neste, a empresa também informa que reduzirá o horário de trabalho de alguns funcionários.

"Essas decisões nunca são fáceis, e não é algo que eu faço de forma leve", disse Roger Lynch, executivo-chefe da empresa, no memorando. "Quero ser transparente sobre os princípios e a abordagem que usamos".

Os cortes acontecem após a Condé Neste ter anunciado em abril que precisaria compensar as receitas perdidas com publicidade, efetuando cortes salariais entre 10% e 20% para os funcionários que ganham salários de mais de 100 mil dólares, incluindo Lynch e Anna Wintour - editora-chefe da Vogue America e diretora artística da Condé Nast.

O impacto da pandemia também levou a empresa a suspender temporariamente vários de seus projetos, como a reforma de seus espaços para eventos e a criação de uma intranet global para os funcionários.

Condé Nast se une à várias outras grandes entidades de mídia que tiveram que se ajustar à medida que as receitas publicitárias diminuem, incluindo Vox Media, Tribune Publishing Co. e W Magazine, do Future Media Group, que dispensou a maioria de sua equipe no final de março.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.