×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
29 de set. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Courrèges embarca em uma nova história de perfumes

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
29 de set. de 2021

Em setembro de 2020, a Courrèges iniciou um novo capítulo de sua história ao receber Nicolas Di Felipe à frente de sua direção artística. Um ano depois, a marca francesa fundada em 1961 por André e Coqueline Courrèges dá um novo impulso à sua oferta de perfumes.


Os novos perfumes da Courrèges


“Trata-se de uma renovação que acontece em simbiose com a moda”, explica Matthieu Boissonnet, diretor-geral dos perfumes Courrèges. Matthieu Boissonnet, que trabalhou na LVMH, dirigindo as marcas Kenzo Parfums e Acqua Di Parma para França, sublinha igualmente que ter moda e perfume fabricados numa mesma unidade é algo bastante raro no universo das fragrâncias, geralmente confiadas a licenciados.
 
Foi Nicolas Di Felice quem deu início a este projeto olfativo, presente da criação das essências à dos frascos. Cinquenta anos, quase no mesmo dia, após o lançamento de sua primeira criação, Empreinte, a Courrèges lançará cinco fragrâncias em 18 de outubro, incluindo um perfume principal chamado Slogan. Uma fragrância com notas de madeira e almíscar criada pelo mestre perfumista Annick Menardo em torno da qual toda a comunicação se irá desenrolar.

Paralelamente, serão lançados outros quatro perfumes, dois dos quais serão criações completamente inéditas, Seconde Peau e C (de Courrèges). A Courrèges também apresentará La fille de l'air, o seu best-seller lançado em 2015, em uma versão mais depurada (de acordo com os novos padrões europeus), e uma versão completamente nova de Empreinte, que em comum com o perfume histórico terá apenas o nome.
 
A Courrèges, que desfila em Paris nesta quarta-feira, 29 de novembro, também oferece às suas fragrâncias um novo frasco. Imaginado por André Courrèges em 1970, o icônico frasco foi redimensionado e repensado por Nicolas Di Felice para se tornar opaco, brilhante e liso, tendo no centro o duplo C, assinatura gráfica da maison.

A Courrèges quis igualmente enfatizar o aspeto eco-responsável, uma vez que este frasco, fabricado na França, é produzido 90% de vidro reciclado e totalmente reciclável. Está também dotado de uma tampa lacada em madeira de faia de Jura e equipado com uma bomba desenroscável que permite a sua reciclagem e eventual reabastecimento (65 euros para 30ml e 115 euros para 100ml).
 
Adquirida no final de 2017 pela Artemis, a sociedade de investimentos da família Pinault, a Courrèges irá propor a sua nova história de perfumes nomeadamente em grandes armazéns e em cadeias como a Marionnaud.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.