×
179
Fashion Jobs
Por
Reuters
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
12 de mai de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Coty se recupera graças às suas marcas Prestige

Por
Reuters
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
12 de mai de 2021

As categorias de maior prestígio da Coty Inc., como os perfumes Burberry e bases Gucci, retomaram o crescimento no terceiro trimestre após um ano de 2020 complicado. As perdas líquidas da fabricante de cosméticos diminuíram significativamente.


As vendas do departemento Prestige da empresa, que fabrica os batons Gucci, aumentaram 6,5%, para600,6 milhõesde dólares. - Gucci


As vendas da empresa caíram consideravelmente no ano passado. Confinados, os consumidores desinteressaram-se pelos produtos de maquilagem. Agora, a Coty está se beneficiando da crescente demanda por produtos de beleza de luxo na China e nos Estados Unidos, o que poderá compensar o declínio.
 
As vendas do departamento Prestige da empresa, que fabrica os batons Gucci e os produtos de skincare Philosophy, aumentaram 6,5% para 600,6 milhões de dólares pela primeira vez em mais de um ano.

No entanto, ainda existem restrições em alguns países europeus, incluindo Reino Unido e França, impedindo uma verdadeira recuperação da demanda pelos produtos da empresa no terceiro trimestre. No continente europeu, as vendas caíram 7,8% no período, enquanto na Ásia-Pacífico, incluindo a China, elas cresceram quase 28%.

Sue Nabi, CEO da empresa, declarou à Reuters: “Começamos a ver uma melhoria no Reino Unido [...]. O fim dos confinamentos deverá encorajar a retomada da atividade no quarto trimestre.” 
 
A Coty espera ter nos Estados Unidos o mesmo sucesso que na China. O país começou a reabrir graças a uma campanha de vacinação acelerada. “Nos Estados Unidos, parte da atividade ainda sofre alguma pressão da concorrência, mas a linha Prestige está crescendo”, ressaltou Sue Nabi.
 
O lucro líquido da Coty diminuiu quase 3%, para 1,03 bilhão de dólares, resultado em linha com as expectativas dos analistas. Os lucros permanecem em zero.
 
As ações da empresa nova-iorquina, que subiram quase 50% desde o início do ano, caíram cerca de 5% para 9,84 dólares antes da abertura da bolsa. As perdas líquidas atribuíveis aos acionistas ordinários foram de 18,5 milhões de dólares no trimestre encerrado em 31 de março, em comparação com perdas de 271,6 milhões de dólares um ano antes.

© Thomson Reuters 2021 Todos os direitos reservados.