×
Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
18 de mar de 2020
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Coronavírus acelera pedido de falência da rede britânica Laura Ashley

Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
18 de mar de 2020

A cadeia britânica de roupas e artigos para o lar, famosa por suas estampas florais, anunciou  na terça-feira (17) que entrou com pedido de falência, depois de não conseguir os recursos necessários para sua sobrevivência devido ao coronavírus.  2.700 empregos estão ameaçados.


Laura Ashley


A marca, que tem 150 lojas no Reino Unido, explicou em um comunicado que o Covid-19 acelerou sua falência e disse não ter outra escolha a não ser se submeter ao regime britânico de falências. Administradores da PwC serão nomeados com o objetivo de tentar encontrar um comprador ou vender partes da empresa.

Laura Ashley, no entanto, havia observado uma melhora nas vendas desde o início do ano, que foi considerada encorajadora pela gestão. Mas, segundo a marca, o coronavírus "teve um impacto imediato e significativo nas atividades, e os desenvolvimentos atuais mostram que essa situação persistirá".
 
A empresa estava negociando com alguns investidores a injeção de dinheiro novo, mas essas negociações não poderão ser concluídas, considerando as perspectivas do grupo e sua situação financeira em meio à uma crise de saúde.

Laura Ashley, que teve seu auge nas décadas de 70 e 80, passou por muitas dificuldades nos últimos anos, entre fechamentos de lojas e avisos de lucro, afetados pela crise nos negócios nas lojas físicas, provocada pelo boom das vendas online, sem mencionar uma imagem considerada envelhecida.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.