×
Por
Stylo Urbano
Publicado em
17 de ago. de 2016
Tempo de leitura
4 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Como criar uma cadeia de fornecimento sustentável para a moda?

Por
Stylo Urbano
Publicado em
17 de ago. de 2016

A criação de uma cadeia de fornecimento sustentável para produzir roupas e acessórios ética e ambientalmente amigáveis não é uma tarefa simples. Na verdade, essa produção requer uma ação e mudança de mentalidade. 
 
Se uma marca de moda já estabelecida ou uma nova marca tiver a intenção de produzir de forma ética e sustentável, terá de se preocupar com a procedência da matéria-prima, onde e como a fabricação é feita, monitorar as instalações para garantir que não haja emprego de mão de obra escrava e que a fábrica esteja em conformidade com práticas sustentáveis.

 
Em primeiro lugar, as empresas precisam entender que existem dois aspectos da sustentabilidade: as questões ambientais e condições descentes de trabalho. Elas precisam observar se os operários são bem tratados, recebem salários justos e trabalham em condições aceitáveis, além de ver se fibras, tecidos e roupas são fabricados de forma ética e sustentável. Para qualquer marca de moda que pretenda ser sustentável, esses itens são obrigatórios.
 
Ferramentas de autoavaliação
A organização americana 'Sustainable Apparel Coalition' (SAC) fornece às empresas de moda uma ferramenta de autoavaliação chamada Higg Index, para que possam examinar os detalhes essenciais do seu negócio antes de fazer quaisquer alterações.

Este programa on-line pode ser baixado gratuitamente e é simples de usar: basta inserir os dados sobre as práticas de negócios e Higg Index examina as diferentes áreas dentro da empresa, desde a concepção para a fabricação e logística até o final da vida do produto, além de mostras taxas em relação à sustentabilidade e áreas de destaques que podem ser melhoradas pela empresa.
 
As pontuações são anônimas e permitem às empresas comparar seus resultados com a indústria, servindo como um poderoso incentivo para lutar por mais melhorias e elevar o nível de sustentabilidade. Dessa forma as empresas podem reconhecer o grande número de decisões que envolvem o design, logística, produção, produto, cuidados a longo prazo e a rotulagem que podem impactar a sustentabilidade.
 
Elas precisam olhar para cada elemento e entender todo o impacto das suas escolhas sobre a sociedade e o planeta. A Malwee é a 1ª marca brasileira a fazer parte da SAC. Para alcançar isso, obter assistência de consultores de fabricação de roupas sustentáveis é importante, pois eles podem oferecer informações valiosas e uma orientação honesta.
 
Nos EUA e Europa, existem organizações que fazem esse papel como é o caso da Source My Garment, que se considera um 'intermediário', e pode ajudar marcas de moda sustentáveis a encontrar fábricas adequadas para seu tamanho e modelo de negócio. Grupos da indústria, tais como o Ethical Fashion Forum, sediado na Inglaterra, e o SAC, também podem ser úteis.

É mais fácil marcas novas se tornarem sustentáveis
É mais fácil para as empresas novas, ao contrário de marcas maiores já estabelecidas, entrar no mercado de moda produzindo de forma sustentável, porque elas têm a oportunidade de se apresentar aos consumidores como uma marca de roupa sustentável desde o início da sua história.
 
Já as empresas de vestuário mais antigas, nas quais a sustentabilidade não era necessariamente uma prioridade original, podem ter condições financeiras e flexibilidade para mudar sua imagem, mas terão de gastar muito mais em marketing para convencer os consumidores que a transição é real.

 
Se você é um jovem estilista ou marca, é mais fácil começar de forma limpa, com fornecedores de confiança. Já as marcas maiores têm de gastar muito dinheiro para fazer a transição e se tornarem mais sustentáveis, trocando seus fornecedores de tecidos, processos de fabricação, etc. Eles precisam mostrar aos consumidores que estão migrando à sustentabilidade. Quando se é pequeno, é um momento ideal para decidir quais serão as matérias-primas e como serão fabricadas.
 
O que as marcas de moda têm de observar é que o transporte (se os produtos viajam por barco, caminhão ou avião), o design (você está projetando as peças para serem duráveis e recicláveis?), os materiais (como e onde você terceiriza os tecidos e se são ambientalmente amigáveis) são a chave para o desenvolvimento de uma marca de roupas sustentáveis de longa duração.
 
Nos Estados Unidos, existem algumas fábricas de roupas que pretendem trazer de volta o 'Made in USA' usando práticas de produção, matérias-primas sustentáveis e trabalho justo com mão de obra qualificada como é o caso da Good Clothing Company. Empresa atende tanto jovens estilistas, com produção de 10 peças por modelo, como marcas de moda já estabelecidas.
 
Na verdade, não há nenhuma forma simples de se tornar sustentável, mas trata-se de um compromisso da empresa para mudar a forma como lida com seu negócio, sendo esta uma maneira completamente diferente de pensar. Investir na sustentabilidade pode tornar uma empresa melhor no geral e acaba trazendo economia, pois a empresa pode acabar encontrando uma cadeia de fornecimento melhor, parceiros de fabricação mais eficientes e melhor qualidade dos produtos.

Copyright © 2021 Stylo Urbano. Todos os direitos reservados.