×
907
Fashion Jobs

Com retomada, consumidores devem descartar controle financeiro

Publicado em
today 31 de jan de 2017
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Durante os dois últimos anos, os brasileiros tiveram de adaptar o orçamento para não sentir tanto as consequências da crise econômica: o controle com o orçamento virou prioridade e mudanças na planilha de finanças pessoais foram adotadas.

Agora, o País segue no caminho da retomada e os consumidores devem levar as lições que aprenderam durante o tempo ruim para manter a saúde financeira também nos tempos de bonança…Não será bem assim, segundo mostram dados de pesquisa realizada pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas).

É isso mesmo: pesquisa mostra que apenas 22% dos brasileiros pretendem manter medidas que adotaram para enfrentar a crise. O que acontece? - Foto: Arquivo


A pesquisa mostra que apenas 22% dos consumidores pesquisados pretendem manter todas as medidas que adotaram durante a crise. O levantamento mostrou que, caso o País saia da crise econômica atual, muitas atitudes serão descartadas: 31% afirmaram que devem descartar a disciplina no controle dos gastos pessoais e familiares.

Outros 29% disseram que descartarão a pesquisa de preço (29%). E a redução das refeições fora de casa é citada por 26% dos entrevistados.

A vontade de “recuperar o tempo perdido e voltar ao tipo de vida que tinha antes” é citada por 44% como a principal justificativa para o abandono das boas práticas. A dificuldade em levar uma vida financeira regrada é justificativa de 35% dos entrevistados.

Uma pena.
Isso porque esperava-se que um dos bons legados da crise fosse justamente uma maior consciência financeira dos brasileiros. E comportamentos como este, de descarte de boas práticas no cotidiano, deveriam ser reforçados e não descartados.

Esse comportamento mostra a falha do País em educação financeira. Segundo José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil e do portal Meu Bolso Feliz, os dados sugerem que muitas pessoas ainda veem as medidas de controle financeiro como um sacrifício, ao invés de incorporá-las como hábitos saudáveis.

“Parte dos consumidores só adota comportamentos racionais em relação ao uso do dinheiro porque não vê outra saída. Para eles, a crise exige atitudes de controle a fim de evitar o colapso financeiro, mas, tão logo a situação melhore, acabam retomando os mesmos padrões, incluindo a falta de disciplina em relação ao orçamento pessoal e o consumo não planejado”, explicou.

“É justamente para poder viver com mais liberdade e menos estresse que a educação financeira se torna fundamental. Evitar as compras impulsivas, pesquisar preços, realizar o controle dos gastos e constituir reserva financeira tornam a pessoa mais preparada para enfrentar momentos difíceis e, ao mesmo tempo, apta a realizar seus objetivos e sonhos de consumo. Organização e controle não devem ser confundidos com privação”, disse o educador financeiro.

Fonte: Portal NOVAREJO

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.