×
Publicado em
3 de mar. de 2017
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Clare Waight Keller dá adeus à Chloé

Publicado em
3 de mar. de 2017

"A garota Chloé continua a ser uma garota. Não é uma mulher. Uma garota muito segura de si e muito feminina. E acho que eu circunscrevi muito bem isso", declarou Clare Waight Keller, sorridente nos bastidores, no fim da apresentação da sua última coleção para a grife criada há 65 anos.

Chloé - Outono-Inverno 2018 - Womenswear - Paris


Expressão de otimismo psicodélico, Clare Waight Keller trouxe sua jovialidade à grife, que em se tratando de um vestido de festa lembrando um céu noturno ou minissaias de guipir e renda, joggigns sexy com patchwork combinando camurça e couro – tudo bem anos 70 – de aparência magnífica, assim como calças desportivas com corte audacioso azuis e brancas, combinadas com casacos de pele ou vestidos casuais com colarinhos estilo Sergent Pepper. O espírito de Mary Quant estava muito bem vivo e presente nesta coleção bem britânica apresentada no Grand Palais, em Paris.
 
Clare Waight Keller entrou na Chloé em 2011 depois de ter trabalhado na Pringle of Scotland e Gucci. Sua passagem na Chloé em Paris foi incontestavelmente um sucesso, que permitiu à casa de moda tornar-se uma etiqueta procurada, cuja influência se faz sentir até no fast fashion, na Zara e na H&M.

"Eu queria que lembrassem de mim por ter introduzido um toque britânico nesta casa de moda francesa. Eles sempre tiveram criadores ingleses, mas eu queria trazer a influência e as referências culturais com as quais cresci. Chego hoje com essas calças desportivas, essas camisas de lenhador e essas referências musicais que são importantes na Inglaterra. Eu queria que tudo isso fizesse parte dos códigos da Chloé", assim explicou a criadora, cuja trilha sonora era aquela de The Human League.

Chloé - Outono-Inverno 2018 - Womenswear - Paris


Nos bastidores reservados às celebridades, o CEO, Geoffroy de la Bourdonnaye, declarou que a Casa de Moda faria um anúncio depois da semana de moda a respeito do sucessor de Clare Waight Keller. No entanto, entende-se que ele teria escolhido Natacha Ramsay-Levi, uma estilista –, mas não uma criadora formada classicamente – que representou um papel importante na qualidade de encarregada de design na Louis Vuitton, onde trabalhou com Nicolas Ghesquière.
 
Historicamente, a Chloé sempre atraiu jovens criadores que, em seguida, se tornaram estrelas – lembramos aqui de Karl Lagerfeld, Stella McCartney ou ainda de Phoebe Philo.
 
Questionada a respeito dos seus projetos e dos rumores de que ela seria vista na Burberry, Clare Waight Keller respondeu: "Não trabalho amanhã e estou voltando para minha casa no World's End", referindo-se ao bairro londrino situado nos limites da King's Road.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.