×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
17 de jun. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Chaumet inaugura exposição 'Observing Beauty' em Paris

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
17 de jun. de 2022


Botânica, biologia e bucólico são temas da nova exposição 'Chaumet: Observing Beauty', que inaugurou na Beaux-Arts de Paris na quinta-feira (16).


Foto: Cortesia da Chaumet - DR


A natureza sempre esteve no coração de Chaumet, uma das maiores marcas de joias do mundo, cuja fundadora Marie-Étienne Nitot era conhecida como uma “joalheira naturalista”.
 
A exposição surge um ano após outra brilhante exibição de Chaumet intitulada 'Joséphine & Napoleon', uma meditação sobre o grande amor do líder francês e eventual imperatriz Josephine e sua rara coleção, apresentada em sua sede, na Place Vendôme.

“Não podemos prometer uma exposição todo ano. Levamos quatro anos para reunir mais de 400 objetos de vários museus e colecionadores para esta exposição, então esta é uma chance única”, diz Jean-Marc Mansvelt, CEO da Chaumet.
 
Na verdade, a mostra é apenas a ponta do iceberg do próprio arquivo de Chaumet, que inclui 66.000 desenhos, 300.000 impressões fotográficas e 350 criações – de joias a relógios.
 

Foto: Cortesia da Chaumet - DR


'Chaumet: Observing Beauty' é uma volta no tempo, há 25 milhões de anos na paleobotânica para um fóssil de louro que parece quase natural. E de volta à antiguidade, com uma grinalda de murta de ouro dramaticamente delicada que data do século IV AC, reinado de Filipe II da Macedônia. Descoberto em uma necrópole em Derveni, na Grécia, parece estranhamente novo e, com seus botões e flores de ouro, verdadeiramente moderno.
 
Esportivamente, a mostra inclui obras de outros mestres joalheiros e artesãos, de Boucheron a René Lalique.
 
É possível fotografar e toda a exposição, embora duas pequenas placas instruam os visitantes a não fotografar contribuições de Doha, propriedades da família real do Catar. Notavelmente sua tiara de chifre, platina e diamante por Lalique que parece tão natural quanto a samambaia que a inspirou.
 
Todos espalhados por sete temas principais: Floresta, Foreshore, Caniçal, Escadas, Cultivo, Hortus e Millefleurs. Reedbed representado por uma tiara hiper original que se divide em dois mini broches com asas de águia, feitos em 1910 por Chaumet para Gloria Vanderbilt.
 
Foreshore é interpretado pela intrigante maquete de Joseph Chaumet para uma tiara baseada em algas marinhas; Millefleurs por uma tapeçaria franco-flama gigante verdadeiramente atraente de animais e pássaros que adoram a natureza emprestada do Pistoia Musei-Antico Palazzo dei Vescovi; ou por uma deslumbrante tiara de diamantes de rosa selvagem e jasmim de Jean-Baptiste Fossin, tão delicada que brilha e vibra quando nos aproximamos de sua caixa de vidro.
 
Por ser em Paris há também um viés literário, com uma carta sobre a importância de contemplar a natureza de Jean-Jacques Rousseau.
 
Em poucas palavras, o curador Marc Jeanson merece medalha de ouro pela mostra. Aberta até 4 de setembro, 'Chaumet: Observing Beauty' é imperdível. 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.