Chanel presta homenagem ao esplendor russo em nova coleção de joias

Patrice Leguéreau, diretor do estúdio de design de joias da Chanel, apresentou "La Paris Russe de Chanel" (“A Paris Russa de Chanel) durante a Semana da Alta-Costura de Paris no início de julho. A coleção de 63 peças foi concebida em homenagem às numerosas influências russas que enriqueceram a vida, a criatividade e a imaginação de Gabrielle Chanel no início do século 20.


A coleção faz referência à muitas inspirações russas que enriqueceram a vida e a criatividade de Gabrielle Chanel. - Chanel

A Rússia se tornou parte da vida de Gabrielle Chanel a partir de 1910 e, em 1920, essa influência se tornou ainda mais significativa. A estilista e costureira começou um affair curto, porém passional, com o grão-duque Dmitri Pavlovich, primo do czar Nicolau II, que na época estava exilado na França. Essa experiência marcou a entrada de novas influências culturais e artísticas para Gabrielle Chanel, ecoadas hoje nesta nova coleção de joias que aborda seus sonhos e memórias.

Memórias, pois Chanel conheceu muitos artistas russos que a apresentaram aos esplendores da Rússia Imperial. Sonhos, porque a designer nunca pôs os pés no país. Ernest Beaux, perfumista da corte dos czares, tornou-se o criador do perfume N°5. Misia Sert, uma das amigas mais próximas de Gabrielle, assim como Igor Stravinsky, Sergei Diaghilev, Léonide Massine, Serge Lifar e a grã-duquesa Maria Pavlovna, alimentaram seu fascínio pela Rússia, influenciando seus designs de moda.

Este legado é hoje celebrado através desta nova coleção de 63 peças de joias sóbrias e exuberantes. A coleção é composta de colares, pulseiras, anéis, brincos, broches, relógios e enfeites de cabelo. A maioria é cravejada de diamantes e pérolas cultivadas, e algumas, como o conjunto Folclore, com safiras azuis e cor-de-rosa, mandarinas e granadas de tsavorita, fazem referência às cores festivas do Balé Russo, para quem Chanel desenhou figurinos.

A coleção faz referência à muitas inspirações russas que enriqueceram a vida e a criatividade de Gabrielle Chanel. A águia de duas cabeças, um símbolo da Rússia Imperial, está no topo da moldura esculpida de um espelho na primeira boutique da Chanel, localizada na rue Cambon, em Paris. Ela agora desempenha um papel especial, aparecendo com octógonos ou camélias em um anel ou colar.

As camisas "rubakha" bordadas, trajes típicos russos, influenciaram a moda de Gabrielle Chanel, assim como os lenços e bordados bizantinos, que agora também são mencionados nesta coleção especial. O caule de trigo, um tema russo simbólico, tornou-se um dos ícones favoritos de Chanel. Este é também um aceno para o desfile de 1967 da Chanel em Moscou, que foi realizado sem ela. Ao final do desfile, suas modelos levaram buquês de trigo, agora referenciados pelo ouro amarelo e branco e diamantes nas peças "Blé Gabrielle" (Trigo Gabrielle”).

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2019 AFP-Relaxnews. All rights reserved.

JoalhariaColeção
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER