×
Por
Reuters API
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
5 de nov. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Chanel aumenta preços de bolsas no período que antecede o Natal

Por
Reuters API
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
5 de nov. de 2021

O grupo de luxo francês Chanel subiu os preços de algumas das suas bolsas mais requisitadas, em um momento em que a forte procura dos consumidores – no período que antecede a época de Natal – e os baixos estoques estão aumentando a sua exclusividade.


As vendas na Chanel caíram 17,6% no ano passado, mas a margem de lucro central foi de cerca de 20%, segundo os analistas, o que a torna uma das empresas mais rentáveis do setor - Reuters


A marca privada Chanel, uma das maiores marcas na indústria de luxo global de 280 bilhões de euros (340 bilhões de dólares), e a rival Louis Vuitton, propriedade da LVMH, resistiram melhor à crise do coronavírus do que a maioria dos outros varejistas e aumentaram os preços várias vezes para expandirem as suas margens de lucro.

As vendas na Chanel caíram 17,6% no ano passado, mas a margem de lucro central foi de cerca de 20%, de acordo com os analistas, o que a torna uma das empresas mais rentáveis do setor. A empresa espera que as receitas aumentem em dois dígitos este ano, em comparação com os seus níveis pré-pandemia de 2019.

O preço da bolsa Chanel Small Classic subiu 16% para 7.300 euros ($8.429), desde o final de setembro. A subida, inicialmente relatada pelo canal de notícias francês BFM TV, foi confirmada pela Reuters, utilizando o Internet Archive.

O preço de outra bolsa popular, a de couro acolchoado 2,55, com uma corrente dourada, foi de 7.800 euros no site da Chanel, na quinta-feira (4 de novembro), em comparação com 6.050 euros em dezembro de 2020, um aumento de quase 30%, como revelou a análise da Reuters.

Um porta-voz do grupo, que é também conhecido pelos seus icônicos terninhos de tweed e pelo perfume Chanel N.º 5, disse em um e-mail que o aumento de preço "só diz respeito aos modelos icônicos, nomeadamente Timeless Classic e 2,55".

"Como todas as grandes marcas de luxo, ajustamos regularmente os nossos preços para considerar as alterações nos nossos custos de produção e preços das matérias-primas, bem como as flutuações cambiais", disse o porta-voz, sem dar mais detalhes.

Os ajustamentos de preços são feitos de modo a evitar diferenças excessivas entre regiões, acrescentou o porta-voz da Chanel.

Em junho, o diretor financeiro da Chanel disse à Reuters que o grupo ainda não tinha aumentado os preços em 2021, mas que isto poderia mudar no segundo semestre – de acordo com a sua política de revisão de preços a nível mundial, que acontece duas vezes por ano.

© Thomson Reuters 2022 All rights reserved.