×
Publicidade
Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
17 de ago. de 2017
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

CEO da Under Armour se desliga do Conselho Americano de Manufatura do Presidente Trump

Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
17 de ago. de 2017

Os principais executivos da Intel Corp., Merck & Co Inc. e Under Armour Inc., renunciaram ao "U.S. President Donald Trump's American Manufacturing Council" (Conselho Americano de Manufatura do presidente dos EUA, Donald Trump), na segunda-feira (15), após a resposta inicialmente tênue de Trump à violência ocorrida durante a marcha de supremacistas brancos em Charlottesville, Virgínia, no fim de semana.


Under Armour


O CEO da Under Armour, Kevin Plank, anunciou o seu desligamento do conselho em uma postagem no Twitter. "Nós permanecemos resolutos em nosso potencial e capacidade de melhorar a fabricação americana", disse Plank. "No entanto, a Under Armour é engajada em inovação e esporte, e não política”.

No inverno passado, Plank foi criticado por algumas das maiores estrelas da Under Armour, como o astro do basquete, Stephen Curry, por conta de seu apoio à Trump.

"Eu me desliguei do conselho para chamar atenção ao grave prejuízo que nosso ambiente político dividido está causando…”, declarou o CEO da Intel, Brian Krzanich, em uma postagem no blog. Intel.ly/2fFOjAd

Kenneth Fraizer, diretor executivo da empresa farmacêutica Merck e afro-americano, declarou que deixou o conselho devido à reação insatisfatória do presidente após a violência causada pelos supremacistas brancos contra manifestantes. Frazier citou a necessidade de "tomar uma posição contra a intolerância e o extremismo".

A AFL-CIO, uma federação de sindicatos que representam 12,5 milhões de trabalhadores americanos, disse estar considerando retirar seu representante do comitê.

Após os atos de violência durante a marcha nacionalista branca no sábado (12), Trump declarou inicialmente que a culpa era de muitos lados. Na segunda-feira (14), após pressão e críticas por sua falta de posicionamento ao falar dos supremacistas brancos, Trump declarou em um comunicado que os neonazistas e os membros da Ku Klux Klan eram criminosos e bandidos.

A marcha ocorrida em Charlottesville com a participação de centenas de nacionalistas brancos teve final trágico no sábado, quando um carro atropelou um grupo de manifestantes contrários à marcha, matando uma pessoa.

"Os líderes dos Estados Unidos devem honrar os nossos fundamentos, rejeitando claramente as expressões de ódio, fanatismo e supremacia grupal, que contrariam o ideal americano, de que todas as pessoas são iguais", declarou Frazier em um comunicado,  ao anunciar o seu desligamento.

"Como CEO da Merck e por uma questão de consciência pessoal, me sinto na responsabilidade de assumir uma posição contrária à intolerância e o extremismo", afirmou.

Trump respondeu pouco depois em um tweet, dizendo: "Ken Frazier da Merck Pharma renunciou ao Conselho de Manejo do Presidente, ele terá mais tempo para BAIXAR PREÇOS DE DROGAS RIPOFF!"

© Thomson Reuters 2021 Todos os direitos reservados.