×
894
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Carven passa para as mãos do grupo chinês Icicle

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 15 de out de 2018
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Carven escapa à liquidação. O Tribunal de Comércio de Paris designou na sexta-feira, 12 de outubro, um comprador para a casa parisiense. Como a FashionNetwork.com anunciou há uma semana, a deliberação era esperada desde o arquivamento das ofertas finais de recuperação da marca. Foram feitas sete ofertas ao Tribunal, das quais apenas uma abrangia na íntegra todo o âmbito da marca fundada em 1945 por Marie-Louise Carven. Era esta oferta, formulada pelo grupo chinês Icicle por um preço confirmado de vários milhões de euros superior às outras ofertas formuladas, que estava na pole position. E a oficialização chegou.


Campanha primavera-verão18 - Carven


A Icicle é, portanto, a nova proprietária da Carven. A partir deste dia, o grupo chinês, através da sua filial parisiense, assume a marca, as suas quatro lojas francesas e todos os funcionários, agora pouco menos de uma centena. Fundada em Xangai em 1997 por um casal, Shouzeng Ye e Shawna Tao, a marca de moda feminina premium Icicle junta-se assim à Carven para formar doravante um grupo.
 
Este é, agora, o proprietário a 100% da Carven, sucedendo aos acionistas anteriores. Sai assim de cena o grupo Bluebell, de Hong Kong, ex-distribuidor asiático da marca, que era maioritário desde 2015, mas que deixou há vários meses de financiar a maison, colocando-a nesta situação de falência, mas também Henri Sebaoun, proprietário anterior, que havia mantido uma parte minoritária durante a venda anterior, bem como a Turenne Investissement, rebatizada Altur Investissement.

Para a Icicle, atualmente o único capitão a bordo, o objetivo será relançar a marca após este mau momento e uns últimos meses frustrantes. A casa não apresentou, aliás, uma coleção primavera-verão 2019 durante a última Fashion Week parisiense.
 
Primeiro, será uma questão de nomear um novo líder para a marca e especificar as intenções em termos de relançamento. A marca manterá o seu posicionamento histórico junto ao mercado de luxo? Em todo o caso, isso seria um eco da marca Icicle no mercado chinês. E virão diretamente membros da equipe Icicle para Paris para reforçar a equipe da Carven?

O grupo chinês tem, desde 2013, uma filial em Paris, dirigida por Isabelle Capron, uma gestora do luxo experiente que passou pela Lanvin e foi diretora-geral da Fauchon. Cerca de trinta funcionários da Icicle já operam em Paris, trabalhando simultaneamente no design de uma linha de luxo da marca chinesa, carimbada "Paris", mas também na definição global da imagem de marca e no merchandising das suas 250 lojas chinesas.

Após o capítulo coleção - que está neste momento confiado ao diretor artístico Serge Ruffieux e cujo futuro será também especificado - o relançamento poderá igualmente passar por um novo plano de aberturas de pontos de venda, após vários encerramentos nos últimos anos.

De acordo com as últimas informações fornecidas, a Carven tinha um volume de negócios de aproximadamente 20 milhões de euros e conta apenas com um punhado de pontos de venda, após uma estimativa mais elevada de 50 milhões de euros entre 2014 e 2015, então com 25 lojas da marca.

Diversas questões com as quais o grupo Icicle terá que lidar, tendo paralelamente em mente o desenvolvimento internacional da sua marca homônima, uma tarefa também confiada à filial parisiense.

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.