×
Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
2 de mar. de 2022
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Cartier apresenta queixa contra a Tiffany por concorrência desleal

Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
2 de mar. de 2022

A joalheria Cartier, de propriedade do grupo suíço Richemont, apresentou uma queixa nos Estados Unidos contra a Tiffany & Co, que pertence à francesa LVMH, por "concorrência desleal", disse a empresa na terça-feira (1).


A joalheria Cartier existe desde 1847 em Paris - AFP


Executivos sêniores da marca americana teriam tentado obter informações "inapropriadas" sobre as atividades da Cartier nos Estados Unidos por meio de um ex-funcionário, motivando a queixa, disse a joalheria em um e-mail à AFP.

O ex-funcionário, que deixou a Cartier para se juntar à Tiffany, também é citado nesta queixa apresentada a um tribunal de Nova York.

"A Cartier respeita totalmente o direito de seus concorrentes de perseguir seus objetivos de negócios", disse a marca. "Neste caso, no entanto, as ambições de negócios da Tiffany cruzaram a linha entre o curso normal dos negócios e a concorrência desleal", afirma.

A joalheria, conhecida por seus motivos em forma de pantera e suas tiaras que adornam cabeças coroadas, é a maior marca de joias do grupo Richemont em termos de faturamento.

"A Tiffany nega formalmente essas alegações infundadas e pretende se defender vigorosamente", respondeu, por sua vez, a marca americana comprada no ano passado pela gigante francesa de luxo LVMH.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.