×
Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
19 de mai. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Burberry: lucro cresce, mas continua prejudicado pela Covid na China

Por
AFP
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
19 de mai. de 2022

A Burberry divulgou na quarta-feira (18) um ligeiro aumento no lucro no exercício fiscal 2021/2022, com um salto nas vendas, mas o grupo de luxo continua enfrentando dificuldades, principalmente devido ao ressurgimento da Covid-19 na China, onde está muito presente.


Burberry - outono-inverno 2022 - moda feminina - Londres - © PixelFormula


O lucro líquido do grupo aumentou 5%, para 396 milhões de libras (466,7 milhões de euros) no ano encerrado em 2 de abril, uma vez que os custos em forte aumento ofuscaram parcialmente um salto de 21% no volume de negócios, de 2,8 bilhões de libras (2,94 bilhões de euros).
 
As vendas foram impulsionadas pelos Estados Unidos, Coreia do Sul e China, apesar dos confinamentos neste mercado chave para a marca.

O desempenho na Europa também melhorou, apesar da falta de turistas devido às restrições nas viagens.
 
O grupo sublinhou no seu comunicado que “os confinamentos relacionados com a Covid-19 na China continental pesaram no desempenho em março”.
 
A rentabilidade melhorou “apesar das pressões das tarifas aduaneiras relacionadas com o Brexit e da inflação dos custos da cadeia de abastecimento”.
 
"Vamos manter a nossa previsão de um crescimento de um dígito de receita (...)", disse o grupo, acrescentando que a sua perspectiva "depende do impacto da Covid-19 e da recuperação dos gastos dos consumidores na China".

A marca de luxo disse ter alcançado "a neutralidade de carbono nas (suas) operações mundiais", nomeadamente com o recurso a eletricidade proveniente de energias renováveis.
 
O novo diretor-geral, Jonathan Akeroyd, indicou que a empresa fez "grandes progressos nos últimos cinco anos para fortalecer a marca (...)”. “Estou ansioso por colocar em prática os meus planos de construir sobre essas bases.”
 
A Burberry "tem uma história recente irregular, em parte devido a razões fora do seu controle, mas estes números mostram os esforços vigorosos da empresa para regressar à sua antiga glória", comentou Richard Hunter, analista da Interative Investor.
 
“A decisão de deixar os artigos não luxuosos e os descontos já está dando frutos”, com “as vendas a preço integral nos Estados Unidos quase duplicando desde antes da pandemia”, acrescentou.
 
O analista observou também que, atendendo aos seus clientes afluentes, o grupo consegue repassar para os mesmos os aumentos de custos, e espera-se que o regresso pleno dos turistas com o fim das restrições sanitárias também ajude no desempenho.
 
No entanto, os investidores continuam cautelosos. Após ter aberto em alta, as ações caíram 1,48% para 1.560 pence por volta das 08:20 GMT na Bolsa de Londres, e caíram acentuadamente ao longo de um ano, após terem sofrido principalmente com a guerra na Ucrânia.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.