×
479
Fashion Jobs
FARFETCH
Account Manager Pleno
Efetivo · SÃO PAULO
RENNER
Product Owner (po) - Omni
Efetivo · São Paulo
RENNER
Product Manager (pm) - Marketplace
Efetivo · São Paulo
RENNER
Fashion Buyer / Comprador(a)
Efetivo · Porto Alegre
RENNER
Fashion Buyer - Comprador(a)
Efetivo · Porto Alegre
ADIDAS
Key Account Manager
Efetivo · Santana de Parnaíba
AMARO
Buyer & Developer
Efetivo · São Paulo
PAQUETA CALÇADOS
Analista de Business Intelligence
Efetivo · Canoas
AMARO
E-Commerce Manager
Efetivo · São Paulo
AMARO
Group Product Manager (Business Growth)
Efetivo · São Paulo
CAEDU
Analista Produtos Financeiros sr
Efetivo · São Paulo
SEPHORA BRASIL
Analista de Datos Medio Tiempo Sin Experiencia
Efetivo · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Administrador Medio Tiempo Sin Experiencia
Efetivo · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Coordinador Medio Tiempo Sin Experiencia
Efetivo · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Secretaria Medio Tiempo Sin Experiencia
Efetivo · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Archivista Medio Tiempo Sin Experiencia
Efetivo · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Auxiliar de Oficina Medio Tiempo Sin Experiencia
Temporario · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Auxiliar de Recursos Humanos Medio Tiempo Sin Experiencia
Efetivo · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Auxiliar de Reclutamiento Medio Tiempo Sin Experiencia
Estágio · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Capturista Medio Tiempo Sin Experiencia
Trabalho temporário · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Recepcionista Medio Tiempo Sin Experiencia
Temporario · QUERÉTARO
SEPHORA BRASIL
Auxiliar Administrativo Medio Tiempo Sin Experiencia
Efetivo · QUERÉTARO
Por
Exclusivo
Publicado em
5 de out. de 2011
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Brasil x Argentina medidas serão duras

Por
Exclusivo
Publicado em
5 de out. de 2011

O governo federal adotou medidas mais duras com a Argentina como forma de pressionar a liberação das licenças não-automáticas para o sapato brasileiro - em torno de 20 empresas têm estocados 3,38 milhões de pares por falta da autorização. A resposta será igual a do governo de Buenos Aires: o Planalto vai barrar a entrada de carros - há 40 mil veículos esperando as licenças - e de produtos como arroz e vinho.

Os porta-vozes foram os deputados federais Renato Molling (PP/RS) e Ronaldo Zulke (PT/RS) , que ontem estiveram no Ministério do Desenvolvimento tratando do assunto.


Assim como os fabricantes, os distribuidores argentinos também estão arcando com prejuízos por conta das travas às exportações. De acordo com Daniel Garcia, representante da companhia argentina Imexca, até agora o investimento da empresa foi de mais de R$ 2,6 milhões, que não serão recuperados caso não haja entendimento entre os dois governos.

Garcia, Antonio Isidori e Fernando Recalt, estiveram na Abicalçados em busca de “socorro” para a situação. “Procuramos a Abicalçados para que consigamos um diálogo com o governo brasileiro para que exija o cumprimento das regras do acordo do Mercosul e da Organização Mundial do Comércio”, disse Garcia, acrescentando que não é só dinheiro que se perde. “Perderemos credibilidade construída ao longo de 15 anos".

O deputado Renato Molling, que esteve com o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, disse que a “retaliação” do governo a vários setores argentinos, será uma estratégia de pressão. Assim, os produtores do país vizinho vão se queixar ao governo deles, que terá de dar uma resposta.

Há um consenso de que toda esta turbulência está sendo provocada em razão do período eleitoral na Argentina, cujas eleições estão marcadas para 23 de outubro. Depois disto, acredita-se que a situação se normalize. No entanto, se isto não acontecer, o governo brasileiro deve começar uma campanha mais agressiva contra seu vizinho.

Ainda conforme Molling, a restrição ao carros argentinos deve ser imediata. Porém, estes 40 mil veículos que estão na fila de espera das licenças ainda não atingiram os 60 dias estabelecidos pela OMC.

Copyright © 2022 Exclusivo On Line. Todos os diretos Reservados.