×
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
22 de abr. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Beyoncé, Rihanna e Gisele Bündchen investem na grife francesa Destree

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
22 de abr. de 2022

Em outubro do ano passado, a marca francesa de acessórios Destree (anteriormente chamada D'Estrëe) apresentou sua primeira coleção feminina de vestuário em uma loja pop-up localizada na loja de departamentos parisiense Le Bon Marché. Seis meses depois, a marca cofundada em 2016 pela designer Géraldine Guyot, formada pela Central Saint Martins College, em Londres, e Laetitia Lumbroso, ex-diretora de coleção da Baby Dior, realizou uma campanha de angariação de fundos da Série A para expandir seus looks e abrir suas primeiras lojas, em particular em junho próximo em Paris, na rue du 29 Juillet, conforme reportado pela mídia americana Women's Wear Daily.


Roupa e bolsa desenhada por Destree - DR


Esta operação, cujo valor não foi divulgado, mas ao final da qual ambos as fundadoras permanecerão acionistas majoritárias, está sendo realizada através da Sequoia Capital China sob o impulso de Angelica Cheung, ex-editora-chefe da Vogue China, que ingressou no fundo em fevereiro de 2021.

Também participam desta primeira rodada personalidades como as cantoras Beyoncé e Rihanna, a atriz Reese Whitherspoon, a modelo brasileira Gisele Bündchen, a diretora artística da Chloé, Gabriela Hearst, as empresárias Carmen Busquets e Jessica Alba, a fundadora da marca americana marca de beleza homônima, Emily Weiss, e sócia fundadora do fundo G9 Ventures, Amy Griffin.

Além da abertura de uma futura boutique parisiense, a Destree, lançada no mercado em 2016 com chapéus e bolsas, antes de oferecer uma coleção de joias em 2019, com peças de linhas bem contemporâneas inspiradas no mundo das artes, conta com aproximadamente 80 distribuidores seletivos.

A marca, que ambiciona gerar 80% do seu volume de negócios através de vendas diretas, contra os atuais 60%, deve também abrir uma loja na China ou mesmo em Nova York. Géraldine Guyot viveu muito tempo na Big Apple desde que seu marido, Alexandre Arnault, filho de Bernard Arnault, CEO da LVMH, tornou-se vice-presidente de produtos e comunicação da Tiffany & Co, após sua aquisição pelo grupo de luxo francês.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.