×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
21 de jan. de 2020
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Balenciaga regressa à Alta Costura

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
21 de jan. de 2020

Considerado um dos mestres da Alta Costura, o designer espanhol Cristóbal Balenciaga fundou, em 1917, a maison que nos dias de hoje ainda tem o seu nome. Atualmente propriedade do grupo de luxo francês Kering, a empresa de moda voltará a apresentar as suas coleções durante a semana de Alta Costura em Paris, 52 anos após a retirada do maestro Balenciaga.


O designer Cristóbal Balenciaga mudou o seu negócio de moda para Paris em 1937 - Museo Cristóbal Balenciaga


Um regresso às origens da casa de história espanhola que acontecerá em julho, sob a batuta de Demna Gvasalia, diretor criativo da marca. "A Alta Costura encarna os fundamentos da maison", afirmou o designer georgiano num comunicado oficial enviado pelo grupo Kering esta segunda-feira, 20 de janeiro. "É meu dever criativo e minha missão fazer com que esta renasça na Balenciaga. Para mim, a couture representa um espaço de liberdade, criação e inovação. Além da exploração das técnicas específicas da Alta Costura, esta experiência irá associar a minha visão criativa moderna com o savoir-faire original da maison", acrescentou o responsável criativo, que abandonou as rédeas do coletivo Vetements em setembro passado. E concluiu: "A couture está à margem de todas as tendências, é uma expressão de beleza ao mais alto nível de exigência estética e de qualidade."
 
"Para a Balenciaga, é um grande orgulho fazer parte da Alta Costura e valorizar o legado excecional da maison", sublinhou Cédric Charbit, diretor-geral da Balenciaga desde novembro de 2016. "Este projeto foi possível graças ao sucesso da visão criativa de Demna Gvasalia e ao notável desenvolvimento da Balenciaga nos últimos anos", afirmou o executivo. Em 2018, o grupo Kering elevou a sua faturação para 13,665 bilhões de euros, impulsionado por um desempenho positivo da casa Balenciaga que, apesar de tudo, ainda está longe dos dados das grandes marcas estrela do portefólio do grupo de François-Henri Pinault: do crescimento astronómico da Gucci (para 8,285 bilhões de euros em faturação) ou da dinâmica do crescimento da Saint Laurent (para 1,744 bilhões de euros).

"A criação de uma equipe e de um atelier dedicado no coração da maison, bem como a recreação idêntica das salas de couture na sua localização histórica, no número 10 da avenida George V, marcam uma etapa importante no desenvolvimento da maison ", acrescentou o diretor sobre o "regresso" ao local onde Cristóbal Balenciaga instalou a sua empresa quando mudou o seu negócio para Paris, em 1937." Voltando à Alta Costura, a casa liga a sua história, o seu presente e o seu passado", concluiu o diretor-geral.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.