×
Por
UseFashion
Publicado em
7 de abr. de 2017
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Balanço Minas Trend: Dia 02

Por
UseFashion
Publicado em
7 de abr. de 2017

O Minas Trend segue a todo o vapor e, na noite da quarta-feira, 05, outras cinco marcas exibiram suas coleções no evento. Lucas Magalhães, Bob Store, Unity 7, Manzan e Victor Dzenk trouxeram desde looks casuais até peças conceituais, propondo diferentes estéticas para a temporada.

Lucas Magalhães
Com a palavra desconstruir como norteadora das criações, Lucas Magalhães trabalhou com a quebra dos padrões da alfaiataria tradicional. Dessa forma, modelagens acinturadas trouxeram assimetrias discretas e combinações de materiais em peças como vestidos alongados, saias e tops.


Entre as propostas de padronagens, clássicos como pied de poule e listras despontaram em composições de cores intensas e contrastantes, ressaltando um certo frescor para a estação. Nos pés, tênis de cano baixo e sandálias rasteiras, em parceria com a Melissa, sugiram de forma monocromática.
 
Bob Store


Em uma coleção para o inverno 2017, a Bobstore mesclou sofisticação com as principais tendências observadas nas passarelas internacionais, como referências retrô e o conforto do homewear. Uma cartela de cores sóbria deu o tom para criações como costumes, casacos amplos, calças flares e vestidos. Entre os materiais, tweed, couro e algodão foram recorrentes, enquanto detalhes de efeitos plissados e barras contrastantes ornamentaram os produtos. Como complemento, atente para as bolsas em versões tiracolo e de mão, apresentadas ora em couros lisos, ora em pelos.

Unity 7


Apresentando uma moda festa simples, clássica e sem extravagâncias, a Unity 7 valorizou o romantismo na passarela do Minas Trend. Vestidos e saias fluídas, seja em malhas ou materiais acetinados, ressaltaram tons pastel e suaves como rosa, branco e lilás. Como forma de decoração, babados e recortes reforçaram ainda mais a feminilidade da coleção, que foi complementada por brincos metalizados e sandálias delicadas.
 
Manzan


Em sua estreia no evento, a Manzan teve a Tailândia como inspiração. Nas composições de looks, peças fluidas como vestidos longos, foram colocadas em conjunto com quimonos e jaquetas jeans, contando sempre com uma intensa ornamentação de superfície. Recortes, acabamentos desfiados, bordados em relevo e aplicações de contas foram apenas alguns dos elementos utilizados por Letícia Manzan para decorar as peças, criando figuras que representassem o local de inspiração, como animais, flores e padrões étnicos. 
 
Victor Dzenk
Finalizando os desfiles, Victor Dzenk teve como ponto de partida de suas criações a obra do artista plástico Luiz Zerbini. Suas pinturas serviram como referências para estampas, tramas, bordados e silhuetas, combinando elementos tropicais e militares.


Entre as peças, destaque para calças amplas, camisas, vestidos e tops alongados, confeccionados em materiais como cetim pesado, musseline, jersey e renda. Nas superfícies, detalhes em babados e desfiados apareceram de modo pontual em acabamentos e recortes. Atente ainda para os bonés, que despontaram em versões elaboradas e com camadas de tecidos aplicadas na parte de trás.

Copyright © 2022 UseFashion. Todos os direitos reservados.