×
887
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Avon está considerando acordo com a Natura

Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 22 de mar de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A empresa americana de cosméticos, Avon Products Inc, que dividiu suas unidades em dois há três anos, estaria considerando um acordo com a Natura & Co para reunir a empresa, informou o Wall Street Journal na sexta-feira (22).


Instagram @avoninsider


Em meio aos fracos resultados da companhia de beleza, os diretores da Avon estariam discutindo uma possível venda para a rival brasileira Natura & Co, e as conversas incluem um cenário no qual a Natura compraria a divisão da Avon da América do Norte, que possui capital fechado, e também a empresa de capital aberto, com as operações globais, disse o jornal, citando uma pessoa familiarizada com o assunto.

As negociações são preliminares e podem não resultar em um acordo, acrescentou o jornal. ”Nunca comentamos sobre esse tipo de especulação", disse uma porta-voz da Avon à Reuters por e-mail. "Continuamos firmemente focados em fornecer a estratégia de transformação "Open Up" da Avon”. 

Na sexta-feira à tarde, porém, José Antonio de Almeida Filippo, Diretor de Relações com Investidores da Natura, emitiu um comunicado de esclarecimento sobre a notícia do Wall Street Journal, no qual "confirma que vem mantendo discussões com a Avon Products, Inc. a respeito de potencial transação envolvendo ambas as companhias". “ A Natura não pretende fazer comentários adicionais neste momento, porém comunicará ao mercado quando apropriado”, declarou o gestor. 

A Avon, que tem sede em Nova York, vendeu uma participação majoritária em suas operações na América do Norte para a empresa de private equity Cerberus Capital em 2015, mantendo uma participação de aproximadamente 20%. As ações da Avon subiram cerca de 6% no início do pregão, depois de terem subido até 11% na sexta-feira.

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.