×
894
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Aviteur, a nova aventura de Patricia Gucci

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 16 de out de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Poucas pessoas têm sobrenomes mais famosos do que Patricia Gucci, ainda que ela não possa realmente usá-lo. O que parece um pouco injusto, dada a qualidade do seu mais recente projeto - Aviteur, uma nova e genuinamente sofisticada marca de malas de luxo.


Patricia Gucci - Fotografia: Aviteur - Aviteur


Uma senhora bastante discreta, Patricia lançou recentemente a Aviteur em Paris, no Crillon, o hotel palácio parisiense de cinco estrelas, que tem desfrutado de um renascimento desde a sua renovação, em 2017. A sua mala de estreia está em exposição e é vendida no famoso Cabinet de Curiosités do hotel.
 
Praticamente todas as pessoas do planeta com passaporte também devem ter uma mala de rodas, mas as de Patricia colocam um toque de distinção nas viagens. A silhueta é hiper ergonómica e muito silenciosa - As rodas são forjadas em alumínio de alta qualidade e fabricadas no Veneto. Isso para respeitar os estatutos venezianos que exigem que as rodas sejam silenciosas na cidade dos canais. É flexível, mas artesanal, tal como a pega: esculpida à mão, mas feita de policarbonato transparente.

Todas as malas são acabadas em Paglia di Vienna entrelaçada, ou treliça de couro de bezerro, sobre painéis de policarbonato; os interiores - incluindo um compartimento escondido - são em alcantara. Equipamento de viagem de um espião de alta qualidade.


Fotografia: Aviteur - Aviteur


"É uma nova bagagem de mão, absolutamente e inequivocamente diferente de qualquer coisa no mercado. Existe um vazio absoluto para uma bagagem de mão que seja bonita e não apenas genérica”, explicou Patricia, a única neta de Guccio Gucci, que fundou a maior marca de luxo de Itália em 1921.
 
"Eu queria trazer de volta o romance da viagem, com uma marca sem logótipo", acrescentou Patricia.
 
Feito à mão na Itália por artesãos habilidosos, o design da bagagem de mão da Aviteur remete para o glamour da década de 1950, quando o seu pai Aldo Gucci (filho mais velho de Guccio) abriu a primeira loja da Gucci fora de Florença, em Roma, e as estrelas de cinema que filmavam em Cinecittà começaram a acorrer à sua loja na Via Condotti para comprar as suas famosas carteiras com alça de bambu.
 
“Hoje em dia, muitas malas são genéricas, sem personalidade. Uma mala de mão não deve ser diferente de uma carteira ou de uma pasta de marca. Não deve ser escondida”, diz Patricia, que escolheu o nome Aviteur a partir de avis, palavra em latim para pássaro, para simbolizar a arte de voar.


Fotografia: Aviteur - Aviteur


Inicialmente, Patricia aprendeu o seu ofício por osmose, com o seu pai que lhe ensinou a arte na adolescência, antes de se tornar a “nova cara da Gucci” como embaixadora da marca na década de 1980. Em 1982, Patricia foi nomeada para o conselho da Gucci, se tornando a primeira mulher na história da empresa a ocupar tal cargo, e foi embaixadora itinerante da marca nos Estados Unidos e na Ásia.
 
"Aldo foi o motor e o cérebro que levou a Gucci à fama internacional", disse Patricia, que trabalhou para a Gucci até aos 28 anos, em 1991.

“Em 1990, um ano antes da morte de Aldo, ele foi forçado a vender a Gucci à Investcorp, e eles me amarraram legalmente durante 10 anos. E eu realmente não consegui avançar com nada depois disso. Mas, tive uma oportunidade incrível de cinco anos onde aprendi com o meu pai na empresa. Mas, depois, tudo terminou de maneira trágica em muitos sentidos”, suspira Patricia, que agora vive na Suíça.
 
A sua mala Aviteur de estreia está disponível em três cores - noz, cinza e preto - com variações nos padrões e materiais usados nos painéis. A Aviteur não é barata, algo que talvez não seja surpreendente dado o seu primeiro ponto de venda: uma mala custa 4.250 euros. Embora, quando se sugere que isso parece caro, Patricia diga: “Na verdade, não. O meu pai é uma fonte constante de inspiração, por causa da sua atenção aos detalhes e procura pela perfeição. Ele dizia sempre: ‘A qualidade é lembrada muito depois de o preço ser esquecido’."

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.