×
Por
Terra
Publicado em
24 de ago. de 2011
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Avança negociação para Marc Jacobs substituir Galliano na Dior

Por
Terra
Publicado em
24 de ago. de 2011

As negociações para Marc Jacobs substituir John Galliano como diretor criativo da Maison Dior estão avançadas, segundo informações publicadas nesta segunda-feira pelo site WWD.

Marc Jacobs, Christian Dior, John Galliano


Bernard Arnault, presidente da LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton, estaria disposto a retirar Jacobs da Louis Vuitton, carro-chefe do conglomerado de grifes de luxo sob o comando da holding, para alavancar a marca sem estilista desde março, quando Galliano foi dispensado após ter ofendido com ideias nazistas um casal num bar
de Paris.

Para substituir Jacobs na Louis Vuitton, o principal nome cogitado é Phoebe Philo, à frente da Celine, também da LVMH, que tem apresentado um trabalho elogiadíssimo com uma pegada minimalista e superchique.

Segundo fontes do WWD, a ida de Jacobs não está totalmente acertada, mas ambas as partes estão em negociações avançadas. Jacobs está na Louis Vuitton desde 1997 e, desde então, conseguiu renovar a grife criada em 1854, mantendo sua essência de produzir acessórios de couro, como bolsas e malas entre as mais desejadas pelos consumidores, exibindo seu inconfundível logotipo.

Jacobs e seu sócio de longa data Robert Duffy têm contratos de longo prazo com a LVMH, também proprietária da Marc Jacobs International. Considerado fundamental para qualquer negócio, segundo o WWD, Duffy estaria incluído no pacote de Christian Dior caso Jacobs assuma a Maison. Nem representantes da Dior nem de Marc Jacobs comentaram o assunto com o site. Pelo grupo, a decisão pelo nome do sucessor de Galliano passa também por Sidney Toledano, diretor executivo da Dior e por Delphine Arnault, vice-diretora da Dior.

Bernard Arnault já teria sugerido o nome de Jacobs para a Dior como substituto de Gianfranco Ferré em meados dos anos 90, antes de acertar com John Galliano, então estilista da Givenchy, que assumiu o cargo em 1996. "Se eu tivesse contratado Marc Jacobs para a Dior
e John Galliano para a Louis Vuitton, a decisão não teria funcionado tão bem para ambas as marcas, mesmo sendo ambos gênios ao seu estilo", disse Arnault ao WWD em 2003.

Desde a saída de Galliano, vários outros nomes já haviam sido cogitados para substituí-lo: Alber Elbaz, da Lanvin; Nicolas Ghesquière, da Balenciaga; Sarah Burton, da Alexander McQueen; Haider Ackermann e Hedi Slimane. Nenhum chegou a um acordo. Outro com forte potencial para assumir o cargo, caso as negociações com Jacobs não se concretizem, é Riccardo Tisci, da Givenchy, também pertencente ao grupo e que tem a simpatia de Delphine Arnault.

As cartas estão jogadas, e Jacobs realmente seria um nome
excelente para tirar a Dior da turbulência a que foi jogada nos últimos meses. Lembrando que o último desfile de alta-costura, desenhado por Bill Gaytten, assistente de Galliano de longa data, foi muito criticado pela imprensa.



Rosângela Espinossi

Copyright © 2022 Terra. Todos os direitos reservados.