×
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
19 de set. de 2022
Tempo de leitura
5 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Atmosfera sombria na London Fashion Week

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
19 de set. de 2022

A Semana da Moda de Londres começou na sexta-feira (16 de setembro), com uma atmosfera sombria, sem muito barulho na capital britânica, enquanto a falecida Rainha Elizabeth II do Reino Unido recebia as suas homenagens finais, e os estilistas apresentavam calmamente as suas últimas criações.


Edward Crutchley - primavera-verão 2023 - Londres - DR


O British Fashion Council (BFC) precisou rever radicalmente todo a programação da London Fashion Week (LFW). Não houveram desfiles na segunda-feira (19), dia de luto nacional, e grandes nomes como Burberry e Raf Simons estarão ausentes.

"Esta temporada caiu durante o período de luto nacional, e todos os desfile e apresentações foram interrompidos, na segunda-feira (19), como parte do funeral real, o último adeus à monarca. Todas as festas e eventos, exceto os próprios desfiles e apresentações, foram adiados ou adaptados. Toda a comunidade da moda e dos negócios presta homenagem ao legado da Rainha, e ao seu investimento na criatividade e no design", disse o BFC num comunicado.

No entanto, o novo programa de seis dias inclui dezenas de desfiles de moda e apresentações de estilistas. E na sexta-feira, três eventos destacaram-se: Edward Crutchley, Mark Fast e KNWLS.

Edward Crutchley: mitologia grega e vestidos de alumínio




Edward Crutchley- primavera-verão 2023 - Londres - DR


Vestidos de froufrous em jacquard metalizado, usados por modelos com pernas cabeludas em um estacionamento escuro e sombrio: esta é a nova coleção de Edward Crutchley, dedicada à ideia de que a moda deve oferecer sempre uma transformação permanente.

Nesta coleção, intitulada "The Only Constant in Life is Change" (A Única Constante na Vida é a Mudança), refere-se a Heráclito e à famosa máxima do filósofo grego de que nunca se nada duas vezes no mesmo rio.

Isto é duplamente verdade para os desfiles de Edward Crutchley, uma das imaginações mais férteis da moda britânica, cujo vestido de abertura apresentava uma abertura até à virilha e terminado com mangas em balão. Edward corta então blisters em saias rígidas e malucas, ou casacos de judô completados com cintos do mesmo tecido cingidos à cintura com nós.

Edward Crutchley é um hábil alfaiate: como se pode ver nas calças cargo perfeitamente ajustadas, feitas de poliéster reciclado elástico numa estampa de abalone inspirada em A.I. (inteligência artificial).

E poucos designers de todo o lado sabem tanto sobre materiais: como ficou evidenciado, por exemplo, pela sua escolha de nylons de efeito aquático, ou pelos seus tecidos de malha ultra cool adornados com ondas de lantejoulas ao estilo de uma aurora boreal – estas últimas usadas num roupão. Muitos dos tecidos são totalmente rastreáveis e satisfazem os critérios voluntários do Responsible Wool Standard (RWS), com produção certificada ao longo de toda a cadeia de fornecimento. E tal como quebra fronteiras em termos de materiais e silhueta, a estética de Edward Crutchley está revolucionando as barreiras de gênero. 

"Durante as duas últimas temporadas, Edward Crutchley tem vindo a desenvolver tranquilamente o vocabulário do glamour queer. Uma suposta opulência manifesta-se na roupa. Aprendeu a extravagância para amplia-la. Voltamos a ocupar duas posições", explicou a marca na nota do programa.

Todo o elenco de homens, mulheres e jovens não binários foi empoleirado em cunhas holográficas monumentais de prata e ouro, cortadas como getas japonesas e combinadas com meias brancas adornadas com o logotipo da etiqueta em forma de roda. E tudo isto foi fantásticamente encenado no estacionamento subterrâneo inclinado em Cavendish Square.

Uma moda que estimula o pensamento, que faz de Edward Crutchley um convidado obrigatório na London Fashion Week.

Mark Fast: streetwear aderente ao corpo




Mark Fast - primavera-verão 2023 - Londres - Foto: FashionNetwork.com - DR


Mark Fast é de confiança para dar um exemplo soberbo dessa longa tradição britânica: roupa urbana, mas com um toque que faz toda a diferença.

A sua pele é estanque no seu ponto mais ousado, sendo a maior parte da coleção composta por minivestidos em malha ajustada. Os cortes apresentam laçadas laterais para revelar quilômetros de pele, terminados com cordas e cordões e luvas integradas no mesmo tecido. Tudo em cores fluorescentes ultra brilhantes, limão, laranja amarga ou púrpura profunda.

Mark Fast gosta de brincar com os grandes clássicos do estilo urbano: desde a roupa íntima de Jean-Paul Gaultier usada em cima, até ao renascimento do jeans de Marc Jacobs. Mas toda vez Fast traz o seu toque pessoal.

Em suma, trata-se de roupa de noite de primeira classe, que a sua irmã usará se for do tipo de jovem que gosta de raves com DJs electro belgas como o artista musical Tour-Maubourg; ou de clubes noturnos de porão onde o roqueiro de dança experimental, o artista musical francês Danny Casseau, faz misturas.

A ideia de tocar estes sons franceses em Londres cria um efeito encantador, e a trilha sonora perfeita para este desfile, que também incluía peças masculinas – tops de graffiti e T-shirts com o logotipo rabiscado. Mark chegou mesmo a criar alguns grandes modelos de calçado: botas pelo tornozelo com monograma esportivo de renda, sneakers de cunha ergonômicos e calças de rede.

Um desfile muito especial, de um designer muito especial, num fim-de-semana muito especial em Londres.

KNWLS: meninas déjà vues




KNWLS - primavera-verão 2023 - Foto: FashionNetwork.com - DR


A dupla criativa Charlotte Knowles e o seu parceiro Alexandre Arsenault, que ficou conhecido como KNWLS, escolheram uma vitrina concreta para apresentar as suas novas ideias, um local perfeito para esta exibição arrojada de feminilidade aguçada.

Charlotte Knowles e Alexandre Arsenault gostam de misturar estética, incorporando paisley, chiffon manchado e couro usado em muitos dos seus trajes. Moldados e orgulhosos, os tops pareciam quase como se tivessem sido fundidos em certas peças: calças jeans apertadas,  camisas próximas do corpo. A dupla gosta muito de lacagem, frontal e lateral, para melhor revelar uma tonalidade de pele, especialmente a barriga. Do rock gótico vitoriano para jovens magras, com uma grande dose de ousadia.

Com sede no sul de Londres, Charlotte Knowles e Alexandre Arsenault também ganharam elogios em Paris, chegando à final do LVMH Prize deste ano.

No entanto, em vários momentos parecia que já tínhamos visto estas roupas. De fato, estavam na coleção que apresentaram ao júri de especialistas em moda da LVMH.

A KNWLS tem uma visão poderosa, e um look imediatamente reconhecível, o que promete um futuro brilhante para a marca. Mas como Heraclitus nos lembrou, na vida a mudança é inevitável, e na moda é essencial.
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.