×
887
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Athleisure treina fora do guarda-roupa

Por
Portugal Textil
Publicado em
today 24 de jul de 2017
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Depois de ter dado elasticidade e conforto a todas as peças do guarda-roupa, a macrotendência chegou agora à cosmética e aos acessórios. Do boom das mochilas à maquilhagem à prova de ginásio, há muito que o athleisure deixou de se esgotar nas leggings.

Bolsas, relógios e maquilhagem estão agora a receber influências do desporto e do fitness, segundo a Quartz, numa altura em que as marcas rivalizam por quota de mercado.
Um relatório recente do Euromonitor revelou que muitos retalhistas têm agora linhas athleisure – macrotendência que deixou de se circunscrever ao vestuário e calçado.
Nas últimas edições da Baselworld, a reputada feira internacional de joalharia e relojoaria, marcas tradicionais têm mostrado relógios inspirados pelo desporto. Marcas como a Kate Spade e a Accessorize, por seu lado, vendem agora garrafas de água nas suas lojas. Estas marcas não adotaram a tendência apenas por falta de melhores ideias. Estão antes a responder à procura dos consumidores.
«O código de vestuário mais casual e inspirado pelo desporto alimenta o apetite por marcas desportivas e mochilas e bolsas inspiradas no desporto, até mesmo relógios», observou o Euromonitor, sublinhando que a marca desportiva Adidas «registou um crescimento de 9% dentro da categoria de bolsas e mochilas em 2016, quase três vezes mais do que a média da categoria».
Considerando esses números, provavelmente não é coincidência que, em maio, a Adidas tenha apresentado uma colaboração com a popular marca japonesa de acessórios Porter.
A Nike, entretanto, trabalhou com a Apple para uma edição especial do Apple Watch, desenvolvida especificamente para praticantes de corrida.

Maquilhagem em movimento
A influência do athleisure e dos estilos de vida ativos que o motivam exercitam-se ainda de formas além daquelas documentadas no relatório Euromonitor.
Numa altura em que os consumidores têm demonstrado um interesse crescente em ficar em forma – e partilhar rotinas de fitness com o mundo através das redes sociais –, as empresas de cosmética começaram também a oferecer novas linhas de produtos, ideais para o ambiente de ginásio.
A Rae Cosmetics, por exemplo, tem uma gama na qual todos os produtos foram desenvolvidos para durar entre exercícios e, claro, face ao calor e transpiração.
Já a Sweat Cosmetics, marca desenvolvida especificamente para mulheres ativas, foi lançada no verão de 2015 por cinco ex-atletas profissionais e a inspiração veio das experiências das fundadoras. Como prova do seu sucesso, a Sephora começou a vender a Sweat Cosmetics em junho de 2016.
A gigante do retalho de beleza vende também a Yuni, que se apresenta como «a primeira marca de beleza inspirada pelo movimento athleisure». A Yuni propõe produtos como toalhitas corporais e gel de recuperação muscular, segmentados para consumidoras com estilos de vida ativos.
Em dezembro, a marca Tarte divulgou a sua versão de maquilhagem athleisure – batizando, inclusivamente, a linha de “Athleisure” – que tem por base um hidratante, um rímel à prova de suor e toalhitas à base de óleo.
Em 2017, o mundo da moda parece ter alcançado o pico da obsessão pelo athleisure, um mercado estimado em cerca de 44 mil milhões de dólares (aproximadamente 38 mil milhões de euros) só nos EUA, de acordo com o NPD Group. Mas, claramente, há espaço para que a tendência continue a crescer fora do guarda-roupa.

Copyright © 2019 Portugal Têxtil. Todos os direitos reservados.