×
890
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Asics irá vestir atletas japoneses com uniformes reciclados nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Por
AFP
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 25 de jan de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Na sexta-feira (25), a Asics, fornecedora oficial das equipes olímpica e paraolímpica japonesas nos Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020 anunciou que os kits e uniformes para atletas e oficiais serão feitos com fibras recicladas.


Campanha para a coleta de roupas para serem recicladas para as Olimpíadas de 2020. - Asics


A iniciativa da marca esportiva japonesa faz parte do projeto mais amplo de Tóquio de tornar os Jogos de 2020 ecológicos e sustentáveis. As medalhas concedidas aos atletas vencedores serão feitas de ouro, prata e bronze derivados de produtos eletrônicos descartados.

A partir de agora e até maio, a Asics pretende coletar cerca de 30.000 itens de vestuário esportivo em todo o Japão a fim de obter fibras de poliéster e transforma-las em resina para produzir novos uniformes. 

De acordo com um porta-voz da Asics, o grupo também planeja usar garrafas PET recicladas e outros materiais reciclados para produzir os kits dos atletas. Em longo prazo, a Asics espera poder usar apenas materiais reciclados para obter o poliéster necessário para produzir suas roupas e calçados esportivos.

Na véspera do anúncio da Asics, a Uniqlo revelou que assinou um contrato de quatro anos com o Comitê Olímpico da Suécia, e lamentou não ter conseguido equipar os atletas de seu próprio país, o Japão.

"É claro que gostaríamos de ser o fornecedor oficial da equipe japonesa, mas não conseguimos por vários motivos", disse Tadashi Yanai, fundador e CEO do grupo Fast Retailing, empresa controladora da Uniqlo, durante uma coletiva de imprensa em Tóquio.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.