As fantasias pagãs de Altuzarra numa escola francesa

É uma temporada de estreias em Paris. Embora haja estreias e estreias. No sábado à noite, testemunhou-se a estreia do estilista Joseph Altuzarra, que tem sede em Nova Iorque.


Ver o desfile
Altuzarra - primavera-verão 2018 - Moda feminina - Paris - © PixelFormula

O desfile foi o regresso de um herói, uma apresentação de sucesso de um estilista que consegue alcançar um equilíbrio difícil quando funde romantismo e fantasia com chic contemporâneo. Além disso, embora Altuzarra (com ascendência americana, chinesa, francesa e basca) tenha crescido em Paris, esta foi uma grande vitória para a moda nova-iorquina, visto que a coleção continha alguma das roupas mais bonitas vistas até agora na Europa.
 
O cerne da coleção estava numa série de vestidos muito elegantes – com cortes tremendamente fluidos até aos joelhos e feitos com misturas de vermelho, preto ou estampados de pervinca; rede, riscas horizontais ou, a proposta mais brilhante, gaze com padrões. Altuzarra cobriu estes vestidos com casacos prateados acolchoados, feito com cordeiro mongol e motivos tribais. Entre as suas inspirações estavam os rituais pagãos documentados por Charles Fréger na série Wilder Man. As modelos pareciam elegantes, mas ligeiramente perigosas.
 
Altuzarra é também um grande auto censor, pelo que pelo que todas as tiras, decorações, pompons e botões com os quais finalizou a maioria dos looks nunca foram dominantes. Além disso, os seus cintos de comprimento duplo e fantásticas botas Centurion high-tech foram o complemento perfeito num desfile que o estilista disse misturar indústria e natureza. E o seu quinteto final de sedosos vestidos de metal e acetato foi a expressão perfeita desse conceito.
 
“Achei que foi maravilhoso”, disse sorrindo a recentemente loira Salma Hayek, ao lado do marido François-Henri Pinault, cujo império de luxo Kering é proprietário de uma participação de 45% na Altuzarra. O que, depois deste desfile, parece ser um investimento muito inteligente.
 
Altuzarra chegou a pedir autorização para organizar o desfile no seu antigo liceu, no sexto arrondissement de Paris, mas quando esta foi recusada o estilista decidiu fazer o evento no Lycée Janson-de-Sailly, onde as modelos desfilaram pelo alpendre do enorme pátio da escola.

“Ao vir cá, fiz um esforço consciente para não fazer algo particularmente francês, mas sim algo meu. É estranho regressar, visto que este lugar é parecido com a minha antiga escola. Então, eu entrei novamente em contato com uma parte de mim muito insegura e muito nerd. E regressei a algo muito selvagem dentro de mim”, disse Altuzarra, que teve o melhor elenco de modelos de toda a temporada, com uma grande parte de nomes novos.

“Queríamos muito sentir que Paris é um novo capítulo. Para isso, era necessário que as modelos fossem caras novas e totalmente frescas, o que traz energia e entusiasmo”, concluiu.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirLuxo - Pronto-a-vestirDesfiles
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER