×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
27 de jun. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Alexander McQueen suspende McQ, a sua segunda linha

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
27 de jun. de 2022

Assim como muitas marcas fizeram nos últimos anos, como a Valentino, recentemente, com a sua coleção Red, destinada a desaparecer em 2024, a Alexander McQueen considera colocar um ponto final na McQ, a sua segunda linha. A marca do grupo de luxo Kering, que também está trabalhando em um grande projeto de abertura de loja em Paris, suspendeu por enquanto a sua atividade.


Um look do primeiro desfile da McQ em Londres, em fevereiro de 2012 - PixelFormula

 
A informação revelada pela Vogue Business foi confirmada pela marca nestes termos: “Como o mercado da moda está mudando rapidamente, a Alexander McQueen e a Kering estão avaliando o futuro da McQ como empresa na sua forma atual. Consequentemente, as atividades comerciais estão neste momento suspensas. A empresa apoiará os funcionários da McQ durante este período até que se chegue a uma conclusão."
 
Esta linha foi lançada em 2006, apostando no denim e em um guarda-roupa informal para expandir a clientela da Alexander McQueen, liderada desde 2010 pela diretora artística Sarah Burton. Inicialmente gerida sob licença pela fabricante italiana Sinv, a sua produção e distribuição foram assumidas internamente em 2010, enquanto o estilo foi confiado a um coletivo de criativos nos últimos dois anos.

Em 2012, a marca organizou o seu primeiro desfile e abriu uma loja própria em Londres, subindo de gama e ampliando a sua oferta com um produto mais próximo da linha principal. Considerada, na época, uma alavanca de crescimento para a casa, a McQ parece não ter dado os resultados esperados.

Paralelamente, a empresa, aproveitando o sucesso da sua marca principal Alexander McQueen, acelerou o seu desenvolvimento nos últimos anos, tornando-se um dos pesos pesados da galáxia Kering, atrás da Gucci, Saint Laurent, Bottega Veneta e Balenciaga. Segundo os analistas, a seu faturamento seria de 700 a 800 milhões de euros.
 
Desde maio, a casa é liderada pelo novo CEO Gianfilippo Testa. Neste momento, está trabalhando na construção de uma nova flagship store na Cidade Luz, que deverá abrir no próximo ano, não muito longe da sua loja atual no número 275 da rue Saint Honoré, constituindo a maior boutique da marca.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.