Alberta reabre em Ipanema como miniloja de departamentos

Durante décadas, a Alberta foi uma referência do mercado de luxo carioca. Após um tempo fechada, a loja reabriu na última terça-feira nas mesmas mãos de Rachel Chreem, no mesmo endereço onde sempre funcionou (Rua Visconde de Pirajá, 302, em Ipanema), mas com um novo conceito. Batizado de Alberta+Guests, a loja é uma espécie de marketplace de moda, que reúne diferentes marcas de moda e acessórios, como Framed, Lado Basic, Paula Torres, Catarina Mina e M.Loures. E também produtospara a casa, com grifes como Paula Bassini, Papel com Laço, Fine Prints e as velas e produtos de beleza veganos da Unna Beauty. 


Rachel Chreem, de volta com a Alberta - Divulgação


Em entrevista ao Fashion Network, Rachel falou sobre sua nova aposta e este novo momento do varejo brasileiro.

FASHION NETWORK: Como você vê as mudanças no mundo da moda desde que vocês abriram a Alberta até hoje? 

Rachel Chreem:
A mudança é gigantesca. Vai desde a maneira de consumir até de se informar. A internet e as mídias sociais estão aí para nos abastecer de informação, da maneira mais democrática. Antes, quando abrimos a Alberta, o acesso às grifes internacionais era mais difícil, até para importar, para eles acreditarem que tínhamos um mercado aqui. Hoje as marcas estão no Brasil porque perceberam o cenário promissor que havia aqui. E as mulheres querem consumir novidades, sempre, e cada dia mais com comodidade.

A relação da brasileira com o consumo está diferente?

Rachel Chreem: Acho que os valores mudaram, a crise baixou a bola no geral. O mercado de luxo sempre terá seu lugar, mas agora não se faz tão necessário o endosso de uma grife cara, é bacana e “está em alta” se produzir com uma moda mais acessível sem perder a qualidade e o diferencial.

O que será possível encontrar da antiga Alberta na nova loja?
Rachel Chreem:
A exclusividade e qualidade dos produtos que não abro mão, além do afinco na curadoria. De resto é só novidade.

Como foi fazer a curadoria das marcas? Ainda há espaço para novas grifes?
Rachel Chreem:
Não foi fácil. Primeiro precisava pesquisar e descobrir quem conversava com esse novo conceito que estava implementando. Depois convencer as grifes a embarcarem nesta nova empreitada comigo. Precisava reunir um bom mix, que saísse do nicho das marcas mais conhecidas, para estar nesta nova vitrine, marcas que não disputassem entre si, que se somassem. Os contratos são semestrais e a ideia é, dependendo da performance, avaliarmos ao fim de cada período, e daí continuar com algumas marcas e ir renovando outras.

Poderemos ver marcas internacionais? Ou a ideia é focar no 'Made in Brazil' mesmo?
Rachel Chreem:
Poderemos, mas esse não é o foco, até porque importação hoje é extremamente complicado. Acho que um caminho mais real é de levar a Alberta+Guests e as marcas made in Brazil para o exterior.

Qual é a expectativa de vocês em termos de vendas? Há a possibilidade de abertura de novas lojas? Vocês também vão vender pela internet?
Rachel Chreem:
Este é um business novo, onde o resultado dependerá de muitos fatores e empresas diferentes dentro da minha própria empresa, muito difícil precisar valores nesse primeiro momento. O primeiro passo é consolidarmos este modelo de negócio neste endereço no Rio, mas antes mesmo de abrir, já recebemos convites para abrirmos a Alberta+Guest em SP, e até fora do Brasil, mas nosso lema é irmos passo a passo. Acho que é por isso que já estamos há mais de 70 anos no mercado, agora é deixar fluir no ritmo certo.

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

ModaNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER