×
Por
EFE
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
25 de out. de 2019
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Adolfo Domínguez reduz perdas em 36% no primeiro semestre

Por
EFE
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
25 de out. de 2019

A Adolfo Domínguez perdeu 1,8 milhões de euros no seu primeiro semestre fiscal (encerrado em agosto), o que representa uma melhoria de 36% em relação aos 2,8 milhões que perdeu no ano anterior, segundo as contas da empresa, cujas vendas somaram 52,5 milhões, com um aumento de 0,9%.


A marca galega abriu nove pontos de venda nos últimos seis meses - Adolfo Domínguez


O resultado operacional (ebitda) foi de 3,3 milhões de euros, comparado com 1,5 milhões em negativo no primeiro semestre de 2018, o que significa que este indicador de rentabilidade apresentou o seu melhor saldo em nove anos, em parte impulsionado pelas novas normas contabilísticas IFRS16 (locações).
 
Em termos comparáveis (superfície comercial igual e, portanto, descontados os encerramentos e as aberturas), as vendas da empresa têxtil galega aumentaram 7,3%, com avanços em todos os mercados nos quais opera.

No caso de Espanha, a recuperação foi de 4,9%, enquanto no México, o seu segundo maior mercado, as vendas comparáveis cresceram 14,6%, no Japão 4,9% e no resto do mundo 5,9%.

"O bom desempenho das vendas comparáveis e da loja online permite-nos assimilar a redução da superfície comercial gerada após a fusão de marcas, no segundo semestre do exercício de 2018", sublinhou em comunicado o CEO da empresa, Antonio Puente.

Na sua opinião, a seleção de aberturas, encerramentos e realocações em todo o mundo, a eficiência na gestão e o controlo das despesas operacionais permitiram melhorar a rentabilidade da rede comercial, “o que se reflete no ebitda e no resultado líquido atribuído".
 
A Adolfo Domínguez encerrou agosto com 386 pontos de venda em 22 países e continuou a otimizar a sua rede comercial com a abertura de nove novos pontos de venda no México (5), Portugal (2), China (1) e Rússia (1). Na Espanha, fechou três, com o que os pontos de venda no estrangeiro passaram a representar 52% do total.

© EFE 2022. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.