×
Por
EFE
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
2 de jul. de 2019
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Adolfo Domínguez descarta mais fechos de lojas físicas a curto prazo

Por
EFE
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
2 de jul. de 2019

A marca de moda espanhola Adolfo Domínguez descarta continuar a curto prazo com o encerramento de lojas iniciado há quatro anos, que levou a que passasse de 544 para 391 lojas físicas entre 2015 e 2019, ou seja, menos 153 pontos de venda.


EFE


Algo que foi explicado na terça-feira pela diretora-geral da empresa, Adriana Domínguez, numa conferência organizada pela escola de negócios Esade, em Barcelona, onde a excutiva falou sobre a trajetória da empresa, os seus desafios e transformações.
 
No último exercício fiscal de 2018-2019, a Adolfo Domínguez faturou 112 milhões de euros, menos 1,6% do que no exercício anterior, e perdeu 500 mil euros, embora pela primeira vez em sete anos tenha obtido um lucro operacional positivo de 1,2 milhões.

Durante esse mesmo ano fiscal, a Adolfo Domínguez fechou um total de 81 lojas físicas após um processo de fusão das suas marcas, que foi acompanhado por um plano de despedimentos que após negociações sindicais terminou com 56 demissões.

Segundo explicou Domínguez, estes ajustes refletem a mudança no modelo de negócios que liderou desde a sua entrada na empresa como diretora-geral em 2017, inspirado nas "transformações" do mundo da venda por atacado na era digital.
 
"Desde o surgimento da internet, os padrões de consumo das pessoas e a sua relação com as marcas mudaram", defendeu Domínguez, que afirmou que "para capturar o imaginário coletivo, já não é imprescindível ter lojas na rua".
 
Por este motivo, a estratégia que a empresa tem aplicado nos últimos anos é a redução da superfície das suas lojas para 200 metros quadrados e a aposta em novas formas de atrair compradores através das redes sociais e da loja online.

A CEO da Adolfo Domínguez deu como exemplo deste novo modelo de negócio a reabertura da sua loja física de 300 metros quadrados no Passeig de Gràcia, em Barcelona, com a qual a empresa concluiu a fusão das suas marcas e renovou o seu logótipo.

Questionada sobre as previsões da empresa para o exercício em curso, Domínguez declinou fazer avaliações até à publicação dos resultados do primeiro trimestre, mas destacou o "fortalecimento" do negócio online.

As vendas da Adolfo Domínguez a partir do seu site cresceram 70% no exercício de 2018-2019, respondendo agora por 10,6% da faturação, e a captação de utilizadores cresceu de forma "exponencial" nas redes sociais e demais canais não físicos: "O futuro é digital", declarou Adriana Domínguez.

© EFE 2022. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.