×
891
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Adidas prevê melhora no segundo semestre e confirma estimativas para 2019

Por
Reuters API
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
today 8 de ago de 2019
Tempo de leitura
access_time 2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

A empresa alemã de artigos esportivos, Adidas, anunciou na quinta-feira (8) que registrou vendas decepcionantes no segundo trimestre, mas espera uma recuperação no segundo semestre, depois de ter reduzido a queda nas vendas na Europa e após recuperar a marca Reebok, que estava enfrentando dificuldades há muito tempo.


As vendas do segundo trimestre aumentaram 4% para 5,51 bilhões de euros. - Adidas


As ações da Adidas caíram 2,3% na manhã da quinta-feira. As ações estavam se recuperando nas últimas semanas, na esperança de que poderiam elevar as estimativas - particularmente depois que a rival alemã Puma elevou suas previsões de vendas e lucro após um forte segundo trimestre.

"Dada a recente releitura das ações desde abril e a redução do gap de avaliação em relação aos pares, a falta de vendas ou ganhos é incomum e o momento da marca continua preocupante", escreveram os analistas do Credit Suisse sobre a Adidas.

As vendas do segundo trimestre cresceram 4%, para 5,51 bilhões de euros, abaixo da estimativa média de 5,54 bilhões de euros, uma vez que a empresa teve um forte declínio na categoria de futebol um ano após a Copa do Mundo.

A Adidas já havia alertado em março que as questões da cadeia de suprimentos afetariam o crescimento das vendas no primeiro semestre, citando problemas específicos que atendiam à demanda da América do Norte por roupas do mercado intermediário.

A Adidas diluiu o domínio da Nike sobre o mercado americano nos últimos anos, apostando nos estilos retrô e se unindo a celebridades como Kanye West e Beyoncé. A Nike respondeu à competição aumentando os gastos com marketing e registrou aumento de 10% das vendas no trimestre encerrado em 31 de maio, impulsionado por um crescimento de 22% na Grande China, e de 9% na Europa, Oriente Médio e África.

As vendas trimestrais da Adidas ficaram estáveis ​​na Europa, recuperando-se de uma queda de 3% no primeiro trimestre, depois que a empresa tomou medidas para reduzir sua dependência da linha de moda Originals e impulsionar as vendas de artigos de desempenho esportivo, com novos lançamentos de produtos. As vendas do grupo aumentaram 14% na China e 6% na América do Norte.

A Adidas disse que está confiante de que as vendas vão acelerar no segundo semestre, e confirmou uma previsão de crescimento de vendas de 5-8% para o ano e receita líquida de operações contínuas entre 1,88 e 1,95 bilhão de euros.

O lucro líquido trimestral das operações contínuas aumentou 10%, para 462 milhões, ajudado por outro trimestre de forte crescimento para o comércio eletrônico, com crescimento de 37% nas vendas. As margens são maiores para as vendas online do que para o atacado.

As vendas da Reebok aumentaram 3%, impulsionadas pela popularidade dos estilos retrô, particularmente na América do Norte, onde a marca expandiu 10%, e nos mercados emergentes.

© Thomson Reuters 2019 All rights reserved.