×
Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
4 de nov. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

Ações da Lojas Americanas disparam após anúncio de fusão e diluição de ações

Por
Reuters
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
4 de nov. de 2021

As varejistas brasileiras Americanas SA e Lojas Americanas SA deram mais um passo em direção à fusão planejada e disseram, na quarta-feira (3), que as participações de seus acionistas controladores bilionários serão diluídas para que eles detenham 29,2% da empresa combinada, Americanas. Americanas SA era conhecida anteriormente como B2W Digital.


Americanas SA era conhecida anteriormente como B2W Digital.


Atualmente, os bilionários brasileiros Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, fundadores da 3G Capital, controlam a Lojas Americanas e se tornarão "acionistas de referência" e não deterão mais do que 50% das ações com direito a voto, informaram as empresas.

As ações dispararam com a notícia. As ações preferenciais da holding Lojas Americanas subiram 12,3% e as ordinárias, 9% nas negociações do final da manhã em São Paulo. As ações ordinárias da Americanas SA subiram 5%.

Embora a empresa tenha dito que os acionistas controladores não estão cobrando ágio, a Americanas está propondo a adoção de um mecanismo de defesa de aquisição. Segundo a empresa, qualquer acionista que adquira mais de 15% das ações acionaria uma oferta pública a todos os acionistas. O mecanismo conhecido como 'pílula de veneno' torna mais difícil para qualquer investidor acumular uma participação semelhante aos acionistas de referência.

Analistas do Itaú BBA disseram que o negócio foi positivo para a Lojas Americanas, pois pode melhorar a estrutura de governança corporativa da empresa e aliviar as preocupações de alguns investidores em relação à governança corporativa.

Uma vez concluída a operação, as ações da Americanas SA detidas pela Lojas Americanas serão canceladas e cada acionista da Lojas Americanas receberá 0,186 ação ordinária da Americanas.

A empresa combinada resultante será listada nos Estados Unidos. O processo menciona a Bolsa de Valores de Nova York e Nasdaq, e não fornece um prazo para a listagem.

De acordo com as empresas, o negócio avalia o patrimônio líquido da Lojas Americanas SA em 10,3 bilhões de reais, enquanto o patrimônio líquido da Americanas SA está avaliado em 25,8 bilhões de reais.

A Americanas SA já recebeu 6,3 bilhões de reais em ativos cindidos da Lojas Americanas em um negócio anunciado no início deste ano, mas ambas continuaram negociando separadamente.

© Thomson Reuters 2022 Todos os direitos reservados.