×
Por
AFP-Relaxnews
Publicado em
18 de nov. de 2016
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

5ª Avenida de Nova York segue como a artéria comercial mais cara

Por
AFP-Relaxnews
Publicado em
18 de nov. de 2016

A 5ª Avenida de Nova York mantém pelo terceiro ano consecutivo sua posição de artéria comercial mais cara do mundo, ultrapassando Causeway Bay, em Hong Kong, e a Champs-Elysées em Paris, segundo a Cushman & Wakefield.


A célebre rua nova-iorquina havia tomado a primeira posição da sua rival de Hong Kong em 2014, depois de dois anos de supremacia da artéria asiática.

Os dois espaços seguem amplamente à frente dos seus concorrentes, com aluguéis médios respectivos de 29.065 dólares o metro quadrado para Nova York (ou seja, cerca de 99,700 reais, na taxa de câmbio atual) e 27.884 dólares por metro quadrado para Hong Kong.

Seus valores de locação são duas vezes mais altos que aqueles das outras ruas principais do resto do mundo, segundo um comunicado publicado pela consultoria por ocasião do Mapic, salão do imobiliário comercial que ocorre esta semana em Cannes.
 
No entanto, as duas cidades registram este ano um recuo, uma vez que as grandes marcas estão racionalizando seus parques de lojas em benefício dos seus sites de venda on-line.
 
A 5ª Avenida viu assim o montante médio dos seus aluguéis comerciais recuar 14% em relação a 2015. É a primeira vez desde o fim da crise financeira que a artéria nova-iorquina registra uma queda dessa, destaca a Cushman & Wakefield, que prevê que isso continuará em 2017.
 
O que está em jogo? As marcas e distribuidores cotados em Wall Street estão sendo levados pelos mercados a uma corrida por lucro, que os incita a fechar suas lojas menos rentáveis. Uma tendência que afeta a maior parte das grandes artérias comerciais americanas. Além disso, Nova York passa por um período de menor demanda das marcas para pontos de vendas do tipo "flagship", grandes lojas com superfícies e aluguéis mais importantes.
 
Em Hong Kong, além do impacto da desaceleração econômica, é também a concorrência do comércio on-line, particularmente na China, que leva os distribuidores e marcas a rever para baixo suas estratégias de implantação comercial. Os aluguéis na Causeway Bay estão recuando este ano cerca de 15%, depois de uma queda de 12% no ano passado.
 
A Avendida dos Champs-Elysées de Paris mantém sua terceira posição mundial e a primeira em âmbito europeu, com aluguéis médios de 13.255 dólares por metro quadrado (cerca de 45,466 reais).
 
Este número segue estável em relação ao ano passado, apesar do recuo do número de turistas e dos tíquetes médios gastos na famosa avenida parisiense, depois, em especial, dos atentados que atingiram a França.

Copyright © 2021 AFP-Relaxnews. All rights reserved.