×
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
8 de dez. de 2021
Tempo de leitura
2 Minutos
Compartilhar
Baixar
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Tamanho do texto
aA+ aA-

 Lanvin: Siddhartha Shukla substitui Arnaud Bazin como diretor-geral adjunto

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
8 de dez. de 2021

Mudanças na gestão da Lanvin. Um ano após ter deixado a Versace para assumir a codireção da maison parisiense, Arnaud Bazin diz adeus. O manager americano-asiático Siddhartha Shukla, especialista em marketing no luxo, acaba de ser nomeado diretor-geral adjunto (deputy general manager) e irá substitui-lo no final do ano, anunciou a marca pertencente à divisão de moda e luxo do colosso chinês Fosun International, recentemente rebatizado como Lanvin Group.


Siddhartha Shukla assume a co-direção de Lanvin - ph Riccardo Olerhead


"A partir de Paris, o Sr. Shukla irá supervisionar o desenvolvimento global da Lanvin, concentrando-se no desenvolvimento comercial, estratégia de produto, excelência digital e iniciativas de posicionamento de marca", indicou a marca em comunicado, acrescentando que o novo dirigente trabalhará lado a lado com a outra diretora-geral adjunta, Grace Zhao, responsável pelas operações da Lanvin na China e na Ásia-Pacífico, e se reportará à presidente da marca e do Lanvin Group, Joann Cheng, com a empresa funcionando com esta dupla abordagem entre Paris e Xangai.
 
Joann Cheng comentou: “Ao longo da sua carreira, Siddhartha Shukla esteve na primeira linha da transformação do negócio, da inovação de produto e do marketing de marca, desafiando o status quo e abrindo caminho para novas oportunidades de crescimento. O seu conhecimento aprofundado do setor, a sua experiência diversificada em maisons de luxo centenárias e também no segmento contemporâneo, e a sua visão global fazem dele o diretor ideal para a Lanvin."

Aos 43 anos, o novo diretor-geral adjunto conta com um rico percurso profissional. Formado em Yale, o executivo, que fala quatro idiomas, chega à Lanvin oriundo da marca premium americana Theory, à qual chegou em 2013 como chefe de marketing e onde rapidamente subiu na hierarquia para se tornar há dois anos diretor de marca (chief brand officer). Anteriormente, passou um ano na Reed Krakoff, trabalhando em marketing e comunicação. Antes disso, durante 12 anos, dirigiu a comunicação internacional da Gucci, de 2000 a 2006, e da Yves Saint Laurent, até 2012.
 
Siddhartha Shukla declara: "Neste momento crucial da sua evolução, a Lanvin dispõe de um enorme potencial para definir e assumir uma posição única no mercado mundial com uma visão e energia renovadas. A moda dos dias de hoje precisa de novos sistemas operacionais alimentados por novas ideias e engenho. Estou ansioso por criar na Lanvin um modelo que possa fornecer em igual medida produtos e experiências excecionais para os clientes e resultados comerciais excepcionais para os acionistas.”
 
A maison, cujo estilo é supervisionado por Bruno Sialelli, deverá recuperar em 2021 o seu nível de vendas de 2019, ou seja, antes da pandemia, graças às fortes vendas na China e nos Estados Unidos e também à força crescente dos seus acessórios. As suas coleções são distribuídas por 25 boutiques em todo o mundo e cerca de 300 revendedores.

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.