Stella McCartney critica o desperdício gerado pela indústria da moda

A estilista Stella McCartney disse que a indústria da moda “gera um incrível desperdício, que é prejudicial para o meio ambiente", e revelou uma nova visão para o futuro da indústria junto com a ambientalista Ellen MacArthur.


Stella McCartney eEllen MacArthur - Ellen MacArthur Foundation

McCartney e MacArthur uniram forças para convocar a indústria da moda para resolver seu problema de desperdício depois que um relatório da Fundação Ellen MacArthur revelou que o equivalente a um caminhão de lixo têxtil é aterrado ou queimado por segundo.

Lançado em maio deste ano, o relatório A new textiles economy: Redesigning fashion's future  (Uma nova economia têxtil: Redesenhando o futuro da moda) traz uma imagem obscura do que pode acontecer se a indústria da moda continuar produzindo no mesmo ritmo atual e com as mesmas práticas de hoje.

De acordo com o relatório, um valor estimado em 500 bilhões de dólares é perdido a cada ano devido a roupas que mal são usadas, além de raramente serem recicladas e, se nada mudar, o setor vai usar até um quarto do carbono mundial até 2025. Além disso, meio milhão de toneladas de microfibras são jogadas no oceano todos os anos, o equivalente a mais de 50 bilhões de garrafas plásticas.

MacArthur culpou o modelo atual  "take-make-dispose" (pegue-produza-descarte) da indústria pelo problema de desperdício. "A indústria têxtil de hoje é construída em um modelo linear desatualizado, take-make-dispose, poluente e que gera enorme desperdício e poluição. O relatório da Fundação Ellen MacArthur intitulado A new textiles economy: Redesigning fashion's future apresenta uma visão ambiciosa de um novo sistema baseado em princípios de economia circular, que oferece benefícios à economia, à sociedade e ao meio ambiente. Precisamos que toda a indústria se baseie nisso", diz Ellen MacArthur.

MacArthur e McCartney acreditam que as roupas devem ser projetadas para durarem mais tempo, serem mais usadas e facilmente alugadas ou recicladas, e as marcas devem explorar novos materiais para garantir que a roupa possa se biodegradar sem liberar toxinas e poluição.

"O que realmente me empolga em A new textiles economy: Redesigning fashion's future é que ele oferece soluções para uma indústria que gera um incrível desperdício, que é prejudicial para o meio ambiente", comenta Stella McCartney.

"O relatório apresenta um roteiro para criar melhores negócios e um meio ambiente melhor. Ele abre a conversa que vai nos possibilitar encontrar uma maneira de trabalhar em conjunto para melhorar nossa indústria, para o futuro da moda e do planeta".

Os ativistas de sustentabilidade disseram que encontrar novas maneiras de escalar melhores tecnologias e soluções, e explorar novos modelos de negócios são necessários para criar uma nova economia têxtil, bem como uma profundidade de colaboração sem precedentes em toda a indústria.

Os líderes da indústria, incluindo os parceiros centrais, H&M, Lenzing e NIKE Inc., e a Fundação C&A como financiadora filantrópica, já aprovaram a nova visão.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirTêxtilLuxo - Pronto-a-vestirIndústriaInovações