Série sobre Versace vai abordar a homofobia dos anos 90

A minissérie americana, "The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story", pretende abordar a homofobia existente na década 90 e o papel que esta desempenhou na morte do estilista italiano, Gianni Versace


Gianni Versace - Archiv

O produtor Ryan Murphy disse a jornalistas que a série, filmada em grande parte na mansão de Versace, em Miami, onde ele foi morto em julho de 1997, vai mostrar o quanto os tempos mudaram.

Com o ator venezuelano Edgar Ramirez no papel de Versace, Penélope Cruz como sua irmã Donatella, e o cantor Ricky Martin, como seu parceiro, Antonio D'Amico, a série tem estreia prevista para o próximo ano no canal FX.

O império internacional de Versace inclui roupas, fragrâncias e decoração. O estilista tinha 50 anos quando foi morto por Andrew Cunanan, cujos motivos permanecem um mistério até hoje.

Cunanan, interpretado pelo ator Darren Criss, matou pelo menos quatro outras pessoas em uma viagem sangrenta antes de chegar a Miami Beach. Ele suicidou-se alguns dias depois de matar Versace.

"Andrew Cunanan pôde atravessar o país e fazer suas vítimas, a maior parte delas gays, por causa da homofobia da época", disse Murphy na quarta-feira (9), durante um evento da Associação de Críticos de Televisão (TCA) em Los Angeles.

“Foi algo muito importante" para Versace "anunciar que ele era gay", disse Murphy, co-produtor da minissérie "American Crime Story".

Naquela época, não haviam celebridades abertamente homossexuais além do cantor Elton John, disse o co-produtor Brad Simpson.

Versace "deu uma entrevista com seu parceiro e é por isso que ele foi morto", disse Simpson.

O cantor pop Ricky Martin, que assumiu sua homossexualidade em 2010, interpreta Antonio D'Amico, parceiro de Versace.

"Gianni era muito compulsivo em seu trabalho, quase obsessivo, mas em sua vida era muito diferente", disse Martin.

Versace, por exemplo, comia uma banana e deixava a casca no chão, ou então tomava banho e largava as toalhas, e D'Amico sempre esteve lá para cuidar dele, disse Martin.

A história de amor entre eles "me afeta de uma maneira muito pessoal", disse Martin, com lágrimas nos olhos.

O "documentário-drama" é adaptado de um livro da jornalista Maureen Orth, que afirma que Versace era portador do vírus HIV.

"Naquela época, você poderia perder tudo se você fosse HIV positivo", disse Murphy.

Embora a maior parte das filmagens tenha sido realizada na mansão de Versace, na Flórida, parte dela está sendo feita no Fox Studio, em Los Angeles, onde a luxuosa casa foi recriada até o último detalhe, incluindo suas pinturas greco-romanas extravagantes.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

Luxo - DiversosPersonalidades