Ralph Lauren: intemporal, mas nada oportuno

Há que reconhecer - Ralph Lauren é um cavalheiro com garra. Dotado de uma enorme determinação, o designer norte-americano tem uma incrível capacidade para fazer frente à adversidade.


Ver o desfile
Ralph Lauren - Fall-Winter2018 - Womenswear - New York - © PixelFormula


O negócio de Lauren continua a ser afetado pelas vendas dececionantes: os millennials praticamente o abandonaram; a era do Instagram está a ultrapassá-lo e a sua oferta de produtos pouco evoluiu em vários anos. Mas, ele ainda ali está, a fazer a sua ovação de agradecimento e a percorrer a sua passarela nos Skylight Studios, na margem do rio Hudson, no final do seu mais recente desfile.
 
Lauren saiu abraçado à sua esposa Ricky e a saudar algumas estrelas de cinema sentadas na primeira fila na manhã de segunda-feira, entre as quais Katie Holmes e Hilary Swank. O designer estava vestido com um blazer clássico de dupla abotoadura, calças de ganga e botas western que pareciam incongruentes depois do desfile, considerando que este foi inspirado na sua casa de férias em Montego Bay, Jamaica.
 
Depois de dois anos difíceis, os resultados da Ralph Lauren foram ainda piores ultimamente, e a marca sofreu uma queda de 10% nas receitas na América do Norte no último trimestre de 2017. E, apesar de um ligeiro crescimento na China, as receitas globais caíram 4%.
 
Com esta coleção, dificilmente terá resultados melhores. A abertura foi jovial, com alguns vestidos encantadores, com estampados de conchas por exemplo, e alguns bons looks com denim, especialmente um vestido cocktail em denim tingido, decorado com plumas azuis, usado pela supermodelo Bella Hadid.
 
No entanto, demasiadas vezes esta coleção pareceu apenas uma modernização dos seus clássicos designs para férias nos Hamptons, mas com imagens das Caraíbas. Infindáveis gravatas com estampados clássicos de iate e camisolas de malha com desenhos de transatlânticos. Quanto aos homens que desfilaram, a maioria pareciam personagens de desenhos animados saídos de um filme sobre as férias de Dick Tracy.

No final, a música ficou a cargo do maior músico da Jamaica, Bob Marley, e ouviu-se Is This Love num cenário que parecia uma versão da sua casa nas Caraíbas, com persianas venezianas e divãs. Parecia quase o anseio do designer por um momento de tranquilidade numa altura em que o império da moda que fundou sofre golpes tão brutais.
 
“Toda a gente deseja ter um lugar mágico onde possa deixar voar o tempo e contemplar a beleza da natureza… As minhas coleções para homem e mulher evocam o estilo despreocupado e sofisticado desta experiência especial – exuberante, luxuosa, intemporal”, disse o designer, de 78 anos, nas suas notas do programa.
 
Ora, uma coisa é intemporal, outra é oportuna, que é algo que esta coleção claramente não foi.
Resumindo, Lauren é o último exemplo, no atual momento complicado da moda, de uma série de marcas estabelecidas que não sabem reagir suficientemente rápido às rápidas mudanças dos gostos do mercado. Mais uma marca apanhada de surpresa pelas dificuldades comerciais no retalho americano e, acima de tudo, pela internet e a sua nova geração de consumidores.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirDesfiles
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER