Procter & Gamble registra aumento no lucro líquido

Nova York (AWP/AFP) - A empresa americana de produtos de higiene e cuidados pessoais, Procter & Gamble (P&G) anunciou lucro e vendas trimestrais sólidos, liderados pela receita de produtos de beleza e higiene pessoal, apesar dos efeitos cambiais desfavoráveis.


Head and Shoulders

O grupo, que está presente em inúmeros mercados ao redor do mundo, também manteve suas previsões anuais inalteradas, apesar do impasse entre os Estados Unidos e a China e da antecipação de conseqüências negativas mais fortes do que o esperado devido ao dólar forte impactando as vendas fora dos Estados Unidos.

O faturamento aumentou 0,2% para 16,69 bilhões de dólares no primeiro trimestre do ano fiscal de 2018/19 encerrado em 30 de setembro, acima dos 16,46 bilhões previstos pelos analistas financeiros.

A empresa informou que os efeitos cambiais reduziram as receitas em cerca de 4%, e ressaltou que o crescimento orgânico das vendas foi de 4%, devido a um aumento de 3% no volume de entregas. A empresa registrou uma diminuição nas receitas geradas no exterior quando convertida em dólares, especialmente durante o período de valorização do dólar em relação às outras moedas.

A P&G comercializa, entre outros, os xampus Head&Shoulders e Pantene, os produtos de maquiagem Olay, as lâminas de barbear Gillette, os detergentes Ariel e Tide, as pastas de dentes Crest, os absorventes higiênicos Always, as fraldas Pampers e os produtos contra a tosse Vick.

Nos últimos três meses, o lucro líquido da empresa aumentou 12,1% para 3,2 bilhões de dólares, resultando em um lucro ajustado por ação de 1,12 dólar ante à uma média de 1,09 dólar esperada pelos analistas financeiros.

O grupo manteve as metas financeiras inalteradas para o ano fiscal que começou em 1º de julho, mas o dólar forte deverá reduzir as vendas em 1,3 bilhão de dólares, ante a uma estimativa de 900 milhões de dólares há três meses.

O crescimento orgânico das vendas ainda é esperado entre 2 e 3%, enquanto o lucro por ação deve aumentar, como previsto em julho, em um intervalo de 3 a 8%. Os analistas esperam um aumento de 3,5% no lucro por ação.
 

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

CosméticaIndústriaNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER