Prêmio LVMH: a criatividade londrina no centro das atenções

O vencedor do prêmio LVMH 2018 será revelado na quarta-feira, 6 de junho, perante um juri composto de grandes nomes do grupo de luxo francês, incluindo Karl Lagerfeld, Marc Jacobs e Clare Waight Keller. Na competição, nove designers do mundo todo, com perfis atípicos, concorrem a 300.000 euros, além da orientação do gigante de luxo por um ano. 

Fashionnetwork.com apresenta o percurso dos criadores que concorrem ao prêmio deste ano, começando por aqueles que se estabeleceram na capital britânica: Samuel Ross, Charles Jeffrey e Rok Hwang. A este trio soma-se a dupla de designers de origem francesa e vietnamita-americana, Léa Dickely & Hung La, que também escolheram Londres para apoiar o seu projeto Kwaidan Editions.


Samuel Ross e sua marca A-Cold-Wall - François Goize

Samuel Ross e sua marca A-Cold-Wall não se encaixam em nenhum molde. Formado em design gráfico e ilustração na Universidade De Montfort, em Leicester, uma cidade perto de Birmingham, o designer, estilista e  músico, está lançou uma marca de streetwear nomeada 2wnt4, antes de ser contratado por Virgil Abloh na agência criativa desenvolvida por Kanye West: Donda. Ele acompanhou o futuro criador da marca Off-White durante três anos, trabalhando na criação de concept-stores, cenografias, filmes artísticos para a indústria da moda e da música. E, em 2015, ele lançou sua marca própria, A-Cold-Wall.

Referência às paisagens urbanas em que cresceu, A-Cold-Wall celebra a cultura street de Londres, inspirada na classe média e trabalhadora britânica, seu ambiente e seus hábitos de vestuário. Um reflexo da paisagem social interpretada em uma moda para homens e mulheres que mistura alta-costura com streetwear.

Misturando materiais técnicos, com padrões e cores minimalistas, favorecendo cortes simétricos, e também jogando com transparência, o vestuário A-Cold-Wall seduziu rapidamente cerca de vinte pontos de venda em todo o mundo, da Barneys em New York, à H.Lorenzo em Los Angeles, passando pela Restir em Tóquio, Selfridges em Londres, e L' Eclaireur em Paris.

Um criador multifacetado, Samuel Ross gosta de organizar, paralelamente aos desfiles das coleções, performances, instalações artísticas e colaborações, como a coleção de artigos de design e mobiliário, Concrete Objects, o lançamento do modelo de tênis Air Force One no final de 2017 em uma parceria entre A-Cold-Wall e a Nike, e cenografias de espaços para Barneys, Off-White e Harvey Nichols.

Samuel Ross apresentou um desfile masculino em Londres, onde estabeleceu seu estúdio criativo desde janeiro de 2017.


Charles Jeffrey e sua marca Loverboy - François Goize

Charles Jeffrey é originário de Glasgow, na Escócia. Ele se mudou para Londres aos 18 anos, onde ingressou na Central Saint Martins School. Inspirado pela cultura "Club Kids" e pela atmosfera fervilhante dos clubes de East London, ele fez amizade com diversos criativos, músicos, artistas, drag queens, com quem frequentava festas.

Depois de passar três meses treinando nos ateliês da Christian Dior em Paris, ele voltou para Londres, onde organizou sua primeira festa "Loverboy Club" no Vogue Fabrics, uma boate gay no bairro de Dalston. Dessas festas nasceu a marca Loverboy, com um estilo baseado na cultura da boates.

Notado por Lulu Kennedy, o fundador da Fashion East (uma plataforma de suporte aos jovens talentos da moda, também por trás do Top Talent Design de Londres), Charles Jeffrey apresentou suas coleções do projeto MAN por iniciativa da Topman e da Fashion East, onde ele desfilou por três temporadas.

Para a sua primeira coleção sendo o único responsável (primavera-verão 2018), Charles Jeffrey apresentou um universo fantástico de criaturas desfilando moda feminina e masculina em um atmosfera alegre. O vestuário foi composto de peças ultra-gráficas a impressões de colagem, com referências a Matisse e William Hogarth, outras com suas influências escocesas, e um estilo de alfaiataria com inspirações punk e volumes descomplicados.

Recompensado no final de 2017 com o prêmio de talento emergente durante o British Fashion Awards, Charles Jeffrey também assinou várias colaborações, incluindo uma coleção-cápsula feminina para o site Matches Fashion, e organizou a exposição "The Come Up" na Galeria NOW,  em Londres, no final de 2017, antes de seu desfile de outono-inverno 2018, repleta de esculturas em vidro e PVC, produto de suas ilustrações e de algumas de suas peças de moda, uma verdadeira imersão no universo delicado e sensível do estilista.

Sua primeira coleção já atraiu algumas lojas globalmente, incluindo a Dover Street Market em Londres, Nova York e Tóquio, a loja Joyce em Hong Kong, e a Boon the Shop em Seul.


Rok Hwang e sua marca Rokh - François Goize

Rok Hwang nasceu na Coréia do Sul e cresceu nos Estados Unidos, no Texas, em Austin. Ele saiu de lá aos 18 anos e ingressou na Central Saint Martins School, em Londres, onde trabalhou com moda feminina. Ele atuou como designer da Céline por três anos, na época de Phoebe Philo, e passou pela Louis Vuitton e Chloé, até que o desejo de alçar vôo solo o fez lançar a Rokh.

Um vestuário dedicado às mulheres, com um espírito atemporal e desestruturado, com nostalgia distorcida de uma modernidade onde cada peça é feita para durar temporada após temporada. Reinterpretando os clássicos, suas coleções impõem silhuetas radicais, com tons de cores neutras. A ideia de uma moda feminina crua e usável.

Rapidamente, a marca despertou o interesse de uma centana de lojas em todo o mundo, como Lane Crawford em Hong Kong, L'Eclaireur em Paris, ou KM20 em Moscou. Baseada em Londres, a equipe da Rokh não faz desfiles e privilegia o formato das apresentações, na espera de ingressar em breve no calendário de desfiles de Paris.
 

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - DiversosCriação