O retorno triunfal de Elie Saab a Beirute

Elie Saab fez um retorno triunfal a Beirute na noite de quinta-feira (8), com um desfile de gala, um jantar beneficente e um leilão discreto para ajudar a UNICEF.


Elie Saab Alta-Costura Primavera 2019 - Beirute - Photo: FashionNetwork.com/ Godfrey Deeny

O desfile de Elie Saab foi excepcional: uma variação de sua mais recente coleção de alta-costura foi encenada no interior da histórica Résidence des Pins, o lar do embaixador da França no Líbano. Um total de 23 modelos desfilaram na passarela, instalada neste belo palácio de estilo otomano, construído em arenito cor de mel - originalmente um casino construído por Alfred Moussa Sursock, membro de uma das famílias mais ilustres do país.

Elie Saab misturou as peças de duas temporadas, incluindo sua coleção Outono / Inverno em homenagem à Catalunha, acompanhadas por um brilhante pianista e compositor local, Michel Fadel, que tocou com grande brio um piano de cauda, ​​e um apresentador que anunciou cada passagem. “À l´ancienne, como antigamente", brincou Elie Saab, que se sentou na primeira fila, ao lado do atual embaixador francês, Bruno Foucher.

Um desfile espetacular, com cortes góticos curvilíneos, ecoando a Sagrada Família de Gaudí, traduzida em vestidos fluidos, boleros com colares grandes e um vestido metálico impressionante, estilo Art Déco.

Em 1918, a Résidence des Pins foi o lar de François George-Picot, nomeado cônsul do mandato francês no Líbano. Uma placa na entrada lembra que o Estado do Grande Líbano foi proclamado em 1920 e que o edifício tem sido desde a residência do embaixador da França, exceto durante a guerra civil de 1975-1990, quando a Résidence des Pins - localizada na célebre linha verde que separa as facções inimigas - teve que fechar suas portas. Em 1981, o embaixador francês da época, Louis Delamare, foi assassinado nas proximidades.

Na noite de quinta-feira, no entanto, o palácio refletia o lento, mas constante,  renascimento do Líbano, especialmente no centro da cidade, outrora devastado. Dezenas de marcas internacionais como Chanel, Hermès, Vuitton, Tommy Hilfiger, Isabel Marant, Zadig & Voltaire agora têm lojas de tamanho considerável na capital; enquanto a Aïshti, equivalente local da Galeries Lafayette, está abrindo uma magistral loja de departamentos de cinco andares em concreto ondulado projetada pela falecida Zaha Hadid.

Nesta cidade milenar, que é a capital culinária do Oriente Médio, Hussein Hadid,  sobrinho da célebre arquiteta, abriu três restaurantes no recém-reconstruído Souk de Beirute, incluindo o Ummi - que apresenta a cozinha libanesa em um cenário em cobre cor de mel. "Sei que minha tia teria ficado extremamente orgulhosa deste edifício, especialmente porque ele está localizado no coração do renascimento de Beirute", disse Hussein Hadid, que fala inglês perfeitamente, fruto do estudo no internato preferido da família real britânica, Gordonstoun.

A elegante sede da Elie Saab fica ao lado: há uma loja e um ateliê localizados dentro de um elegante edifício Racionalista de seis andares. No dia anterior, Elie Saab organizou uma degustação de Dom Pérignon, que incluiu a famosa safra P2 1998. "É ótimo receber os amigos no Líbano e festejar com um bom vinho. Sinto-me honrado por tudo o que eu posso fazer pelo meu país", disse o designer.
 

Elie Saab Alta-Costura Primavera 2019 - Beirute - Photo: FashionNetwork.com/ Godfrey Deeny

Embora de origem libanesa, Elie Saab reside na Suíça, e apresenta seus desfiles de alta-costura e prêt-à-porter em Paris há mais de dez anos. O estilista obteve seu primeiro sucesso significativo em 2002, quando Halle Berry usou um de seus esplêndidos vestidos para receber o Oscar.

Quando a guerra civil eclodiu no Líbano, Elie Saab tinha 11 anos - sua família se mudou para Beirute depois da destruição de sua cidade natal, Damour. Mais tarde, aos 18 anos, ele deixou a universidade para iniciar seu ateliê e se tornou o primeiro estilista árabe a ser eleito tanto na Camera della Moda quanto na Chambre Syndicale, os órgãos governamentais da moda italiana e francesa, respectivamente.

Mais de um milhão de libaneses fugiram do país durante o conflito: de fato, estima-se que 15 milhões de pessoas de origem libanesa vivam no exterior. Na quinta-feira, o principal jornal de língua francesa, L'Orient-Le Jour, destacou orgulhosamente que seis políticos de origem libanesa foram eleitos nas eleições de meio de mandato na América, de Donna Shalala, congressista na Flórida, à Christopher Sununu, eleito governador de New Hampshire.

Em Beirute, Elie Saab é um verdadeiro herói nacional. Seus elegantes vestidos de noiva e espetaculares desfiles de tapete vermelho conquistaram  um enorme número de seguidores com sua mistura de sensibilidade ocidental e estilo do Oriente Médio. "Ele é simplesmente um dos melhores embaixadores do Líbano. Poucas pessoas fizeram tanto pelo país", afirmou o embaixador francês, Foucher.

Após o espetáculo, cerca de 150 convidados puderam degustar de um tortelli de vitela com trufas brancas e um ensopado de cabra refogado durante 36 horas, preparados por Simone Zanoni, chef do George, em Paris.

Elie Saab também é conhecido por sua generosidade. Ele é muito ativo na LAU, a Lebanese American University, onde é presidente honorário da escola de moda. Fundada em 1924, a Universidade Americana de Beirute forma cerca de 8.500 estudantes em suas faculdades de medicina, engenharia, arquitetura, ciência e design, onde o próprio Elie Saab criou um diploma de design de moda.

Seu ativismo se estende até mesmo à segurança no trânsito. No domingo, 18 de novembro, como parte do 25º Dia Internacional de Segurança no Trânsito, Elie Saab se juntará à um grupo de artistas, arquitetos, escultores, joalheiros e taggers em um leilão de capacetes Harley-Davidson, que será realizado no Beirut Yacht Club, para arrecadar fundos e aumentar a conscientização. A contribuição de Elie Saab? Uma moto de alta-costura, personalizada por ele.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosDesfiles
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER