O Showroomprivé acredita no exterior e no celular

É uma verdadeira ofensiva no exterior, a qual conduz neste momento o Showroomprivé.com. O site de e-commerce de vendas privadas acaba de desembarcar há pouco, por esses dias, na Bélgica. Há um mês, ele se estabeleceu em Portugal. No último verão, foi na Holanda. Além do mais, o Showroomprivé.com já está presente na Espanha, há dois anos e meio, no Reino Unido há quase dois anos e na Itália há um ano e meio. Certamente, a França ainda detém mais de 80% no volume de negócios.

Thierry Petit conta, neste ano, com 250 milhões de euros ao todo, contra menos de 180 milhões no ano passado. O maior avanço vem da Itália com +200%, ao passo que a atividade na Espanha apresenta uma taxa de crescimento que está entre 20 e 25%. "Nós estamos nos desenvolvendo nos dois países. Mas é verdade que a situação na Espanha é mais tensa. Os consumidores estão mais sensíveis ao preço. E até mesmo ao custo final. Isso se vê pela utilização da entrega grátis. A situação é bem diferente na Itália, onde certamente o Estado está muito endividado, mas um determinado número de consumidores têm dinheiro".

O site de vendas privadas se congratula por atender hoje grandes marcas (visual Chacok)
Este objetivo de desenvolvimento no exterior não para por aí. Thierry Petit mira a Polônia, no primeiro semestre de 2013, e a Europa Oriental em seguida. "Observamos a Turquia, estamos observando o Brasil, ainda mais porque os fundos de nossa capital estão presentes nestes países", ressalta ele. Ao contrário do Venda-Privada, por outro lado, o Showroomprivé é cético em relação à Alemanha. "O riso é elevado lá. É verdade que podemos gerar um volume de negócios nesse mercado, explica Thierry Petit. Mas e quanto à rentabilidade. É um país onde as taxas de retorno podem ir de 30 a 50%!".

Para se impor como um jogador-chave, o Showroomprivé aposta em vários fatores. A oferta, com certeza. Hoje, o site se posiciona como um verdadeiro nº 2 para as marcas, atrás de seu grande concorrente. Assim, ele referencia nomes como Puma, Desigual, Asics etc. E também abriu novos setores como o de brinquedos, de viagens e de móveis. "Contudo, a moda ainda detém 70% da oferta", destaca Thierry Petit.

Ele também vem buscando, via campanhas publicitárias, particularmente na TV, "vender" a marca Showroomprivé. A última, em curso (até 16 de dezembro), exalta o aplicativo para celular da marca e seu serviço de entrega rápida. Este serviço, em 24 horas, baseia-se em três depósitos que contam com cerca de 200 pessoas. Hoje, ele é utilizado por 40% dos clientes.

O celular também é um importante eixo de crescimento da atividade para o site. "Nós estamos desenvolvendo, hoje, cerca de trinta aplicativos em todos os países, levando em conta especificidades, salienta o dirigente do Showroomprivé. A evolução técnica demanda investimentos pesados, com um custo importante de manutenção. Isto se torna até mesmo uma barreira para a entrada, em matéria de e-commerce. À medida que é preciso levar em conta diversas situações. Por exemplo, o Android domina na Espanha, o iPhone na França". E particularizar: "Hoje, 25% do volume de negócios do Showroomprivé.com é gerado via celular na Europa. E, se uma venda traz 30% de novos clientes, dois terços deles vêm pelo celular".

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

EsporteDistribuição
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER