Não perca 5 museus de moda incontornáveis

Madrid (TRENDSMérica) – A expressão cultural da moda tem também seu espaço em alguns dos locais mais encantadores do mundo. Por isso, aqui propomos cinco museus de moda para que você contemple algumas das melhores criações da costura internacional.
 
Se tiver oportunidade de visitar cidades como Antuérpia (Bélgica), Paris (França), Lisboa (Portugal), Madri (Espanha) ou Quioto (Japão) ou estiver aí atualmente, esta é a oportunidade de conhecer o reflexo da nossa sociedade através das suas peças de moda.
 
A evolução da roupa ao longo da história e das diferentes civilizações tem uma enorme influência nas peças que hoje são tendência, aquelas que catalogamos de 'vintage' e aquelas que, não há muito tempo, eram nossas favoritas, mas que já passaram da moda.
 
Tanto pelas suas coleções como pelas suas exposições, estes cinco museus estão na lista de todo apaixonado pela moda que se respeite, de maneira que, se os visita, estas são algumas das maravilhas a serem contempladas.
 
1. MoMu - ModeMuseum Provincie Antwerpen (Bélgica)
 
Este museu é especializado em moda e desenho e encontra-se numa cidade que inspira por si própria, Antuérpia, uma vez que também hospeda uma das escolas de arte mais famosas do mundo: a 'Royal Academy of Fine Arts Antwerp', (Real Academia de Belas Artes de Antuérpia).

Tal escola formou personagens da moda de vanguarda dos últimos anos como os criadores Martin Margiela, Dries Van Notem e Ann Demeulemeester.
 
Voltando ao museu, o MoMu possui uma coleção de mais de 25.000 artigos, incluindo vestuário, sapatos, acessórios e rendas que datam do século XVI até nossos dias.

2. Musée Galliera (França)
 
Conhecido como Museu da Moda de Paris – onde se encontra – ou Galliera, este edifício conta com uma coleção de 70.000 artigos, uma série de peças que contam a história do país desde o século XVIII até à atualidade.

A construção que o hospeda é um formoso palacete do século XIX, que pertenceu à Duquesa Galliera – daí seu nome – e nas suas numerosas salas pode-se encontrar roupa que pertenceu a personagens históricos como María Antonietta e Luis XVII.
 
Uma das peças mais aclamadas deste museu é o famoso vestido preto Givenchy que a atriz Audrey Hepburn usou em 'Breakfast at Tiffany's' adornado com um colar de pérolas.
 
Além disso, há também peças de designers como Balenciaga, Balmain, Dior, Fath, Fortuny, Poiret, Saint Laurent e Schiaparelli.
 
De um modo mais concreto a coleção 'Undergarments Department' (roupa interior) é muito rica em seus modelos e inclui diferentes corpetes e outros. A variedade de joias, chapéus, luvas e guarda-chuvas é impressionante.

3. MUDE - Museu do Design e da Moda (Portugal)
 
O Museu do Design e da Moda situado na capital portuguesa hospeda um total de mais de 1.200 peças de moda, incluindo modelos de vestuário desenhados por estilistas como Gaultier, Saint Laurent, Chanel, Vionnet, Mary Quant, Vivienne Westwood e Dior.

Outras das maravilhas das suas instalações é uma coleção de móveis datados dos anos 30 até à atualidade.

4. Museo del Traje (Espanha)
 
Situado na capital espanhola, este edifício possui algumas das peças mais significativas dos séculos XVI e XVII, bem como um prezado gibão – peça rígida que cobria dos ombros até à cintura – feminino de finais do século XVI.

Entre a roupa masculina do século XVIII destacam-se os coletes e entre a feminina, os abrigos. Além disso, mais de 2.500 exemplares são do século XIX e do século XX há mais de 4.000, entre os quais se incluem designs de artistas como Mariano Fortuny e seu famoso vestido 'Delphos'.
 
Catalogados dentro do período esplêndido da alta-costura, estão ainda expostos vários desenhos de artistas de presunção como o professor Balenciaga, Pedro Rodriguez, Lino, Rosina, Natalio, Pertegaz e Elio Berhanyer. Todos eles, com intenção de relatar a história espanhola, além de outras 5.000 peças que refletem a indumentária tradicional e popular do país em outra importante coleção.

5. The Kyoto Costume Institute (Japão)
 
As bases deste museu são as origens da moda bem como a influência dos fatos regionais e sua relação com o que somos e o que vestimos atualmente.

Nesse sentido, este instituto expõe diversas coleções de fatos típicos regionais de várias partes do mundo e pertencentes aos diferentes momentos da história desde o século XVII até ao presente.
 
Também há documentos e outros artigos relacionados com a roupa, mas um dos pratos fortes do museu é uma grande coleção de criadores japoneses consagrados que enalteceram o estilo japonês na moda internacional, como Yohji Yamamoto, Issey Miyake, Kenzo e Rei Kawakubo, incluindo deste último 1.000 artigos da marca Comme des Garçons, e alguns desenhos de Dior e Chanel.

Imagens: Reprodução

Copyright © 2018 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.

Moda - Pronto-a-vestirEventos