Minas Trend: Lojistas e sindicatos veem aquecimento da economia e retomada dos negócios

Empresários e representantes de sindicatos ligados à moda se mostraram otimistas ao fim da 22ª edição do Minas Trend, que aconteceu entre os dias 17 e 20 de abril, no Expominas, em Belo Horizonte, e apresentou as tendências para o Verão 2019. Entre estandes de roupas, acessórios e calçados, o Salão de Negócios contou com 205 expositores.

“Nesta edição, registramos um incremento de 10% na comercialização dos espaços e a adesão de 13 novas marcas - somando 112 expositores de vestuário -, fato que evidencia a confiança do produtor em uma recuperação gradual, porém constante, dos negócios do setor”, analisa Luciano Araújo, presidente do Sindivest/MG. Segundo o empresário, os expositores mostraram-se satisfeitos com o movimento e resultado de vendas. “Nossa expectativa é positiva, pois acompanhamos a tendência da retomada do poder econômico e de consumo e nosso setor é um dos primeiros a sentir o impacto”, completa o dirigente. 


Lojistas fecham negócios no Minas Trend - Divulgação / Agência FotoSite

Jânio Gomes, presidente do Sindicalçados/MG, conta que, desde a última edição do evento, a entidade já percebia um ânimo maior por parte dos expositores. "Nesta temporada, confirmamos essa percepção com o propósito de participantes que já querem fechar contrato para a próxima temporada, fato que não acontecia há muito tempo”, revela . 

Celso Afonso, presidente do Sindibolsas/MG, pondera que, o momento delicado na economia, obviamente, se reflete no setor, mas que vem trabalhando com expectativas muito realistas. Em relação a temporada anterior, o dirigente afirma que a geração de negócios ficará no mesmo patamar. “Precisamos usufruir da capacidade produtiva das empresas e, em um segundo momento, crescer. Acredito que poderemos nos recuperar até mesmo no segundo semestre, período que, tradicionalmente, é sempre melhor. Já estamos contaminados por essa positividade”, conclui. 

Desfile de abertura do Minas Trend primavera/verão 2019 - Divulgação / Agência FotoSite

Os lojistas também se mostraram animados. Para a Anne est Folle, subir na passarela aumentou a visibilidade e o movimento no estande da marca. "Tivemos muitos clientes novos que não conheciam a marca, principalmente depois do desfile”, comemora Renata Manso, diretora criativa da grife.

Segundo ela, a marca, que atribui à semana de moda cerca de 30 a 40% do faturamento, abriu novas praças na região Sul do país e está em conversa com uma cliente do Canadá. "A gente vende muito depois do Minas Trend também. São clientes que vêm a feira e querem comprar depois com mais calma”, pontua.


Look Anne est Folle exibido no Minas Trend - Divulgação

A marca Ellizabeth Marques, voltada para o segmento festa, abriu mercado em cidades do Sul do país, e também na Argentina. Cerca de 70% das vendas são resultado do Minas Trend. Lucas Tavares, diretor de marketing da grife, comemorou as boas vendas da nova linha, batizada de Deezer, desenvolvida a partir de uma pesquisa com clientes ativos e inativos. “Fizemos isso para saber as demandas. Essa é uma linha mais minimalista, sem bordados, que entrega qualidade, preço e tendência”.

A marca Nammos – referência em resort wear – abriu mercado em várias cidades, entre elas Uberaba e Aracajú. O Salão de negócios representa de 20 a 30% do faturamento da label, que levou 80 peças para o estande. 

Com investimentos na casa dos R$ 747 mil na 22ª edição, o Minas Trend atingiu R$ 7,3 milhões em recursos nos últimos quatro anos, conforme balanço da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), realizadora da iniciativa. O setor da moda em Minas Gerais, conforme dados consolidados de 2016, é responsável por 18% dos postos de trabalho da indústria de transformação do Estado, gera 130 mil vagas de emprego em quase 9 mil empresas.
 

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

ModaSalões de Moda